Uma loucura difícil de dimensionar! O Flamengo reescreveu sua história na Libertadores em três minutos

Os dois gols de Gabigol contra o River Plate fizeram com que a final da Copa em Lima não parecesse real. Ainda há quem pense estar sonhando. Monumental!

Não foi em dezembro de 81, mas já está eternamente marcado na história. O River Plate não ficou na roda e ainda assim será difícil que haja uma decisão igual. Só o Flamengo é campeão da Libertadores em uma única final. O seu povo pediu e conquistou a América de novo! Será preciso que a Nação escreva uma nova música para eternizar 23 de novembro de 2019, assim como fez com os campeões de 38 anos atrás, hit das arquibancadas que conduziu o Flamengo ao bicampeonato.

Daqui a 10, 20, 30, 38 anos, as futuras gerações terão de saber o que aconteceu em Lima, a capital do Peru, sede da primeira final única da história da CONMEBOL Libertadores. Monumental! Se o de Núñez é a casa do River, o da capital peruana virou um pedaço do Maracanã e ocupou um espaço nos corações rubro-negros.

Por mais que todos tenham plena consciência do tamanho da final única de 2019, é só o tempo que dará a ela a medida certa do que se passou em Lima. A famosa ficha ainda está caindo para muitos, sejam fanáticos rubro-negros, jornalistas, rivais, de Fla e de River, ou simplesmemte amantes do futebol. Do mundo inteiro. Uma final inesquecível com um final épico, que nem mesmo roteiristas teriam como escrevâ-la assim se Gabigol fosse um ator e Flamengo x River Plate, um filme. Foi real, mas parece irreal.

O Fla viu a longa espera pelo bicampeonato caminhar para 39 anos. O River contava os segundos para faturar a terceira taça em cinco anos. "Mas ali no meio da torcida, dava para ver que havia uma confiança de que o Flamengo seria o campeão", contou um jornalista que registrou imagens de torcedores no meio dos brasileiros, no Monumental.

Em três minutos, o quase campeão virou vice. O quase derrotado virou campeão. Tristeza virou alegria, alegria virou tristeza. Caiu o River, surgiu o Clube de Regatas do Flamengo, com dois gols inacreditáveis de Gabriel Barbosa. Gabigol imitou Zico num mesmo 23 de novembro: dois gols numa final de Libertadores vestindo vermelho e preto. O 23 do mês 11, aliás, já pode ser considerado um feriado rubro-negro. O dia que, para sempre, será aniversário dos dois títulos do Fla.

Foi incrível! 38 anos passaram em três minutos.

Fechar