CONMEBOL Libertadores 2005: São Paulo se torna o primeiro time brasileiro tricampeão da América

Pela primeira vez com final entre equipes do mesmo país, Tricolor goleou Athletico Paranaense e levantou a Copa pela terceira vez

O primeiro time do Brasil a levantar por três vezes a CONMEBOL Libertadores foi o São Paulo. Com uma campanha sólida e um goleiro-artilheiro em grande fase, o Tricolor sagrou-se tricampeão em 2005.

Uma mudança de regulamento passou a permitir que clubes do mesmo país pudessem se enfrentar na final, e isso aconteceu justamente naquele ano, quando o rival do São Paulo na decisão foi o Athletico Paranaense.

Mas, até a final, o São Paulo de Paulo Autuori, técnico campeão com o Cruzeiro em 1997, teve uma Fase de Grupos tranquila. Primeiro lugar da chave e de maneira invicta. No primeiro duelo eliminatório, clássico contra o Palmeiras.

A diferença entre os elencos se fez presente logo na ida, quando Cicinho, com um golaço, garantiu a vitória. Na volta, novamente o lateral-direito e Rogério Ceni decretaram a classificação, sem susto.

Nas quartas de final, a vaga foi assegurada no primeiro confronto. O Morumbi lotado viu Ceni marcar duas vezes na goleada por 4 a 0 sobre o Tigres. O confronto no México serviu apenas para cumprir tabela, e o revés por 2 a 1 foi o único tropeço na campanha vitoriosa.

O River Plate foi a próxima vítima. Rogério Ceni voltou a deixar a sua marca na vitória por 2 a 0, no Brasil. O Monumental lotado presenciou um outro triunfo tricolor, desta vez por 3 a 2.

A final inédita entre times do mesmo país teve o Athletico Paranaense como rival. O Furacão passou por Cerro Porteño, Santos e Guadalajara.

Sem poder atuar na Arena da Baixada por conta da capacidade do estádio, o Athletico mandou a ida no Beira-Rio, em Porto Alegre. Empate por 1 a 1 em campo neutro.

No Morumbi, o Tricolor garantiu o tri com um passeio: Amoroso, Fabão, Luizão e Diego Tardelli marcaram, e coube a Rogério Ceni, protagonista na campanha, erguer o troféu.

NÚMEROS DE CAMPEÃO

14 jogos
9 vitórias
4 empates
1 derrota
34 gols pró
14 gols contra
Artilheiros: Luizão e Rogério Ceni (5 gols)

FICHAS TÉCNICAS

Athletico Paranaense 1-1 São Paulo

Data: 6/7/2005
Local: Beira-Rio, Porto Alegre (Brasil)
Libertadores: Final, ida
Árbitro: Jorge Larrionda (Uruguai)

Athletico Paranaense: Diego, Jancarlos (André Rocha), Danilo, Durval, Marcão, Cocito, Fernandinho (Evandro), Fabricio, Alan Bahia, Lima, Aloísio. Técnico: Antônio Lopes.

São Paulo: Rogério Ceni; Cicinho, Fabão, Diego Lugano, Alex Bruno, Júnior, Mineiro, Josué, Danilo, Luizão, Amoroso. Técnico: Paulo Autuori.

Gols: Aloísio (14’); Durval (52 contra’).

São Paulo 4-0 Athletico Paranaense

Data: 14/7/2005
Local: Morumbi, São Paulo (Brasil)
Libertadores: Final, volta
Árbitro: Horacio Elizondo (Argentina)

São Paulo: Rogério Ceni, Cicinho, Fabão, Diego Lugano, Alex Bruno, Júnior (Fábio Santos), Mineiro, Josué, Danilo, Luizão (Souza), Amoroso (Diego Tardelli). Técnico: Paulo Autuori.

Athletico Paranaense: Diego, Jancarlos, Danilo, Durval, Marcão (Rodrigo), Cocito, André Rocha (Alan Bahía), Fabricio, Evandro, Lima (Fernandinho), Aloísio. Técnico: Antônio Lopes.

Gols: Amoroso (17’), Fabão (52’), Luizão (70’), Diego Tardelli (90’).


MAIS VÍDEOS DA CAMPANHA


Fechar