CONMEBOL Libertadores 2011: Santos vence Peñarol e volta a conquistar a Copa depois de 48 anos

Liderado por Ganso e Neymar, Peixe chega ao tricampeonato da América em reedição da final de 1962

Foram longos 48 anos para chegar à Glória Eterna novamente, mas a espera valeu a pena. Honrando a tradição de formar times talentosos e vencedores, o Santos se sagrou campeão da CONMEBOL Libertadores 2011 capitaneado por duas jóias oriundas das categorias de base: Neymar e Paulo Henrique Ganso. 

Treinado por Muricy Ramalho, o Peixe festejou o tricampeonato continental no Pacaembu, após vencer o Peñarol por 2 a 1, em reedição da final da edição de 1962 da Copa - vencida também pelos brasileiros, que na época contavam com Pelé, Coutinho e outros ícones. Assista à final de 22 de junho de 2011 no Facebook Watch.

Classificado para o torneio por ter sido o campeão da Copa do Brasil em 2010, o Santos integrou o Grupo E com Cerro Porteño, Colo-Colo e Deportivo Táchira, avançando aos mata-matas com a mesma campanha dos paraguaios (11 pontos em seis jogos).

O adversário nas oitavas de final foi o América do México, batido na Vila Belmiro por 1 a 0, e o empate sem gols no jogo de volta, fora de casa, assegurou a classificação. Nas quartas de final, o Santos encarou o Once Caldas. Venceu na Colômbia por 1 a 0 e empatou por 1 a 1 na volta.

Na semifinal veio o Cerro Porteño. O capitão Edu Dracena marcou o gol da vitória por 1 a 0 no jogo de ida, no Pacaembu. A vaga na final veio de forma emocionante: empate por 3 a 3, em Assunção. O Peixe vencia por 3 a 1 até os 60 minutos e sofreu o empate, mas segurou a classificação para enfrentar o Peñarol, que eliminara o Vélez Sarsfield. 

Em Montevidéu, empate por 0 a 0. O jogo de volta da final, com Pacaembu lotado, prevaleceu o talento santista, vitória por 2 a 1, com gols de Neymar e Danilo. Desta forma, o Santos se igualou ao São Paulo como o time brasileiro com mais títulos de Libertadores, com três troféus - o Grêmio também chegaria a esse seleto grupo, em 2017.

NÚMEROS DO CAMPEÃO

14 jogos
7 vitórias
6 empates
1 derrota
20 gols pró
13 gols contra
Artilheiro: Neymar (6 gols)

Pôster - Santos 2011

FICHAS TÉCNICAS 

Peñarol 0-0 Santos

Data: 15/6/2011
Local: Centenário, Montevidéu (Uruguai)
Libertadores: Final, ida
Árbitro: Carlos Amarilla (Paraguai) 

Peñarol: Sebastián Sosa, Alejandro González, Guillermo Rodríguez, Dario Rodríguez, Carlos Valdez, Nicolás Freitas, Mathias Corujo (Antonio Pacheco), Alejandro Martinuccio, Luis Aguiar, Matías Mier (Fabián Estoyanoff), Juan Manuel Olivera (Diego Alonso). Técnico: Diego Aguirre.

Santos: Rafael Cabral, Danilo, Pará, Durval, Bruno Rodrigo, Alex Sandro, Arouca, Adriano, Elano (Alan Patrick), Neymar, Zé Eduardo (Bruno Aguiar). Técnico: Muricy Ramalho.

Santos 2-1 Peñarol

Data: 22/6/2011
Local: Pacaembu, São Paulo (Brasil)
Libertadores: Final, volta
Árbitro: Sergio Pezzotta (Argentina)

Santos: Rafael Cabral, Danilo, Edu Dracena, Durval, Léo (Alex Sandro), Adriano, Arouca, Elano, Paulo Henrique Ganso (Pará), Neymar, Zé Eduardo. Técnico: Muricy Ramalho.

Peñarol: Sebastián Sosa, Mathias Corujo, Alejandro González (Emiliano Albín, depois Fabián Estoyanoff), Guillermo Rodríguez, Dario Rodríguez, Carlos Valdez, Nicolás Freitas, Alejandro Martinuccio, Luis Aguiar, Matías Mier (Jonathan Urreta), Juan Manuel Olivera. Técnico: Diego Aguirre.

Gols: Neymar (46'), Danilo (68'); Durval (79' contra)

Fechar