Salvador: o primeiro jogador brasileiro a entrar em campo e ser campeão da CONMEBOL Libertadores

Ex-jogador do Internacional, falecido em 1979, integrou a equipe titular do Peñarol que conquistou o título da primeira edição da Copa

Na foto acima, ele está à esquerda. Milton Alves da Silva, o Salvador. Imagem, nome completo e apelido de um pioneiro do futebol sul-americano. Salvador tem o seu lugar na história por ser o primeiro jogador brasileiro a tocar na bola em uma partida de CONMEBOL Libertadores e também se tornar o primeiro do país a levantar a Copa.

Meio-campista de origem, Salvador foi zagueiro no Peñarol treinado por Roberto Scarone na primeira edição da Libertadores, escalado como titular na partida inaugural do torneio, no dia 19 de abril de 1960, contra o Jorge Wilstermann, que terminou em goleada por 7 a 1 para os uruguaios.

Com Salvador na defesa e Alberto Spencer no ataque, o maior artilheiro da história da Copa com 54 gols, o Peñarol chegou à final diante do Olimpia. Venceu o jogo de ida por 1 a 0, em Montevidéu, e o empate por 1 a 1 em Assunção transformou o time uruguaio no primeiro campeão da Libertadores.

O craque que recusou uma Copa do Mundo

Milton Alves da Silva nasceu em 16 de outubro de 1931, em Porto Alegre. Alto e franzino, ele iniciou no futebol no time do Colégio Pão dos Pobres, na capital do Rio Grande do Sul. Ganhou o apelido de Salvador pela capacidade de decidir partidas com seu talento.

Em 1950, Salvador passou a defender o Força e Luz, também de Porto Alegre, e no mesmo ano chamou a atenção do Internacional, que o contratou. Como meio-campista, sagrou-se tetracampeão gaúcho (de 1950 a 1953), entre outros títulos, e participou de um capítulo marcante da rivalidade com o Grêmio, em 1954. No Gre-Nal de inauguração do Estádio Olímpico, nova casa do rival, o Inter goleou por 6 a 2.

As atuações de destaque lhe renderam convocações à seleção brasileira. Cotado para ir à Copa do Mundo de 1954, na Suíça, Salvador recusou disputar o torneio porque era recém-casado e queria desfrutar a lua de mel.

Sucesso na América do Sul 

Peñarol Libertadores 1960

O Peñarol contratou Salvador em 1955, em época em que raramente um jogador brasileiro atuava fora do país - na foto acima, ele é o primeiro em pé à direita. O clube de Montevidéu o conhecia de um amistoso disputado com o Inter, em 1950, justamente a partida em que estreou com a camisa colorada.

O gaúcho chegou com a missão de substituir Obdúlio Varela, ícone do futebol uruguaio, e agradou à torcida de imediato. O Inter tentou recontratá-lo, em 1957, mas o Peñarol colocou todos os obstáculos possíveis para mantê-lo.

Consolidado no clube, Salvador foi tricampeão uruguaio (de 1958 a 1960) e campeão da Libertadores de 1960. Disputou também a primeira edição do Torneio Intercontinental, o Mundial de Clubes da época, mas perdeu para o Real Madrid (5 a 1 no placar agregado).    

A partir de 1961, Salvador defendeu River Plate, Estudiantes e clubes menores do Brasil até de se aposentar. Morreu em 1979, aos 48 anos.

Fechar