Rodriguinho e a confiança no tri do Cruzeiro na Copa Libertadores

Contratado para ocupar o lugar de De Arrascaeta, meia aceita a responsabilidade e confia no grupo da Raposa para ter o título que ainda lhe falta

Por Marcio Porto

Rodriguinho se garante. Era comum ouvir isso de quem o cercava nos de Corinthians. A confiança do meia em seu potencial chega aos companheiros, que sabem que é nele que a bola tem de parar nos momentos de aperto. No Cruzeiro, não é diferente. E Rodriguinho gosta disso. Voltou ao Brasil menos de um ano depois de sair com um objetivo claro: ser campeão da Copa CONMEBOL Libertadores, título que ainda lhe falta. 

Ele sabe que uma conquista poderia alçá-lo a outro patamar no futebol brasileiro. E ao mesmo tempo em que chama a responsabilidade, confia no seus companheiros. O primeiro passo será nesta quinta-feira, às 19h, diante do Huracán (ARG) em Buenos Aires, na abertura do Grupo B da Copa. "O Cruzeiro é um time que vai brigar para ser campeão, é um título que não tenho ainda, então isso pesou bastante para meu retorno, e estou muito focado para a gente fazer uma grande Libertadores", afirma o meia cruzeirense, em entrevista à Copalibertadores.com.

O Cruzeiro entra na competição com a força de um bicampeão da Copa do Brasil. O rótulo não é pouca coisa, mas para Rodriguinho o cruzeirense tem de se animar. "O grupo é muito experiente, sabe conviver com a pressão e sabe conviver com ser campeão, por isso que foi bicampeão. Não traz peso, responsabilidade maior, ao contrário, a gente já sabe como trabalhar para alcançar nossos objetivos", define. 

Na Argentina, o Cruzeiro não teve sorte nos últimos anos na Copa. As três últimas eliminações foram para hermanos. No ano passado, caiu para o Boca Juniors. Em 2015, para o campeão River Plate, e em 2014, a mesma coisa, para o campeão San Lorenzo. Também ainda vive na memória do cruzeirense o tri que não veio em 2009, na final contra o Estudiantes. Mas são outros tempos e Rodriguniho alerta para os perigos da Copa. "Tem de entender que é um campeonato com muito contato, muitas vezes tem problema com arbitragem, tem de ficar esperto para não deixar nenhum tipo de coisa que possa atrapalhar um jogo", diz. 

Rodriguinho foi contratado para substituir De Arrascaeta, que rumou para o Flamengo. Aceitou a responsabilidade e manda um recado ao torcedor: será difícil bater o Cruzeiro na Copa. "A torcida pode esperar tudo. Da mesma forma como eles querem bastante, todos estamos muito focados em conseguir esse título. Sabemos que não é fácil, mas vamos tentar o nosso melhor". 

No grupo do Cruzeiro ainda estão Deportivo Lara (VEN) e Emelec, que também se enfrentam nesta quinta-feira.

 

Fechar