CONMEBOL Libertadores 1996: Hernán Crespo decide, River Plate bate América de Cali e conquista bicampeonato

O River Plate ficou com o título da CONMEBOL Libertadores 1996 após superar o América de Cali, comemorando a Glória Eterna em casa, no Monumental de Nuñez.

A campanha que levou ao bicampeonato continental consagrou o trabalho de Ramón Díaz, ídolo dos Millonarios como jogador e treinador, a carreira de Enzo Francescoli, capitão da equipe, e o talento de jovens jogadores, como Juan Pablo Sorín, Marcelo Gallardo, Pablo Aimar e, principalmente, Hernán Crespo.

Aos 20 anos e disputando a Copa pela segunda vez, Crespo fez a diferença. Foi o vice-artilheiro da competição, com dez gols (um a menos que Anthony de Ávila, do América de Cali), sete deles marcados nos mata-matas.

O River passou invicto pela Fase 1, como líder do Grupo E, com 14 pontos em seis jogos, a melhor campanha entre os classificados às oitavas de final. No duelo com o Sporting Cristal, sofreu a primeira derrota, por 2 a 1, em Lima, mas avançou na Copa após golear os peruanos por 5 a 2, em Buenos Aires.

Nas quartas de final, clássico argentino com o San Lorenzo: a vitória por 2 a 1 no estádio rival e o empate por 1 a 1 no Monumental classificaram o River às semifinais.

O próximo adversário foi a Universidad de Chile de Marcelo Salas, que marcou um dos gols no empate por 2 a 2, em Santiago. Na volta, o River venceu em casa por 1 a 0, gol marcado por Matías Almeyda, e se garantiu na final para encarar o América de Cali, que despachou o Grêmio, na época o atual campeão da Copa, por um lugar na decisão.

A disputa pelo título começou no Estádio Pascual Guerrero, em Cali, com vitória do América por 1 a 0, gol de Anthony de Ávila - o time colombiano ainda desperdiçou um pênalti com Cardona. O ato final de Hernán Crespo na Libertadores 1996 ficou para a partida de volta, em Buenos Aires. O atacante abriu o placar aos aos seis minutos, marcou outro aos 59, e decretou a vitória do River por 2 a 0.

Logo após a conquista da Libertadores, Crespo foi negociado com o Parma, da Itália, e se consolidou como um dos principais artilheiros das ligas europeias, passando também por Lazio, Inter de Milão, Chelsea, Milan e Genoa.

AFP Crespo River 1996

NÚMEROS DO CAMPEÃO

14 jogos
8 vitórias
4 empates
2 derrotas
28 gols pró
12 gols contra
Artilheiro: Hernán Crespo (10 gols)

FICHAS TÉCNICAS 

América de Cali 1-0 River Plate

Data: 19/6/1996
Local: Pascual Guerrero, Cali (Colômbia)
Libertadores: Final, ida
Árbitro: Óscar Velázquez (Paraguai) 

América de Cali: Óscar Córdoba, James Cardona (Giovanni Hernández), Jorge Bermúdez, Carlos Asprilla, Foad Maziri, Wilmer Cabrera, Alfredo Berti, Franky Oviedo, Alex Escobar, Anthony de Ávila, Henry Zambrano (Ricardo Pérez). Técnico: Diego Umaña.

River Plate: Germán Burgos, Hernán Díaz, Celso Ayala, Guillermo Rivarola, Ricardo Altamirano, Matías Almeyda, Leonardo Astrada, Juan Pablo Sorin, Ariel Ortega (Marcelo Gallardo), Enzo Francescoli (Juan Gómez), Hernán Crespo (Pablo Lavallén). Técnico: Ramón Díaz.

Gol: Anthony de Ávila (26')

River Plate 2-0 América de Cali

Data: 26/6/1996
Local: Monumental de Nuñez, Buenos Aires (Argentina)
Libertadores: Final, volta
Árbitro: Julio Matto (Uruguai)

River Plate: Germán Burgos, Hernán Díaz, Celso Ayala, Guillermo Rivarola, Ricardo Altamirano, Marcelo Escudero (Juan Gómez), Matías Almeyda, Néstor Gabriel Cedrés, Ariel Ortega (Juan Pablo Sorín), Enzo Francescoli, Hernán Crespo (Marcelo Gallardo). Técnico: Ramón Díaz.

América de Cali: Óscar Córdoba, Wilmer Cabrera, Jorge Bermúdez, Carlos Asprilla, Foad Maziri, Arley Dinas, Alfredo Berti, Franky Oviedo, Alex Escobar, Anthony de Ávila, Henry Zambrano. Técnico: Diego Umaña.

Gols: Hernán Crespo (6' e 59').

Fechar