Ricardo Oliveira tem melhor início de Copa Libertadores na carreira, aos 38 anos

Atacante do Atlético-MG fez quatro gols em dois jogos, algo que ele nunca havia conseguido, mesmo sendo um dos brasileiros que mais vezes marcou no torneio

Ricardo Oliveira, aos 38 anos, nunca começou tão bem uma Copa CONMEBOL Libertadores. Nem em sua primeira participação, quando tinha 22, e terminou o torneio como artilheiro com o vice-campeão Santos, em 2003. É a primeira vez que o artilheiro do Atlético-MG marca quatro vezes em seus dois primeiros jogos na Copa.

O desempenho na Fase 2, contra o Danubio, já credencia o veterano atacante como goleador máximo da edição em 2019, ao lado de Martínez, do Libertad, e como a principal esperança do Galo na busca pela classificação para a fase de grupos, a partir desta quarta, diante do Defensor Sporting, no Uruguai, às 21h30 (de Brasília).

É no mesmo estádio Luiz Franzini, palco do confronto pela Fase 3 desta noite, que Ricardo Oliveira começou a mostrar sua força: ele marcou duas vezes no empate em 2 a 2 contra o Danubio antes de repetir a dose na volta, no Independência, na vitória por 3 a 2 que classificou o Atlético-MG.

Há 16 anos, quando foi com o Santos até a final, Ricardo largou na Libertadores com três gols diante do América de Cáli (dois) e 12 de Octubre (um) nas primeiras duas rodadas da fase de grupos. O atacante terminou o torneio com 9 gols em 11 partidas, em sua melhor atuação na história da Copa.

Ricardo Oliveira voltou a disputar a competição com a camisa do São Paulo, em 2006 e 2010 - entrou já nas fases finais, em mata-matas. Na primeira participação, fez um gol em quatro partidas e, na segunda, um gol em dois jogos.

O artilheiro do Galo não jogava a Libertadores desde 2017, quando ele retornou à competição com a camisa do Santos. Ricardo largou com um gol nas primeiras duas rodadas, pela fase de grupos, e fechou sua participação com o Peixe somando três gols em oito partidas.

"Marquei alguns gols bonitos na Libertadores, fico muito feliz de voltar a essa competição, marquei gols importantes com o São Paulo e o Santos, marquei gols decisivos, que nos garantiram vitórias. É sempre especial anotar gols na Copa", disse o atleta, em entrevista ao CopaLibertadores.com, antes da estreia neste ano.

Ricardo Oliveira Atlético-MG Danubio Copa Libertadores 12022019

O atacante começou a edição de 2019 de forma avassaladora. Foram dez finalizações em 180 minutos em campo, sendo 9 delas certas. A média é de um gol a cada 45 minutos. O desempenho já já colocou Ricardo Oliveira, com 18 gols na história da Libertadores, entre os principais artilheiros brasileiros da Copa.

Números de Ricardo na Copa-2019

  • 4 gols
  • 180 minutos em campo
  • 9 finalizações certas
  • 1 finalização errada
  • 3 chances criadas
  • 22 passes
  • 1 drible certo
  • 6 duelos vencidos pelo alto

Fechar