Recopa: a força argentina que faz a diferença para o Athletico Paranaense

Experientes, Lucho González e Marco Ruben comandam uma equipe que faz frente ao poderoso River Plate campeão da Libertadores. Decidirão em Buenos Aires?

Independentemente de quem conquistar a CONMEBOL Recopa, brasileiros e argentinos vão comemorar. Passado o jogo de ida na Arena da Baixada, o Athletico Paranaense leva a vantagem de 1 a 0 para Buenos Aires contra o River Plate para o lado brasileiro. E argentino também. Muito. 

Hoje, o Athletico do técnico Tiago Nunes tem um importante toque hermano e isso pode fazer a diferença na Argentina. Os símbolos dessa relação entre o país vizinho e o clube de Curitiba são Lucho González, o Comandante, e Marco Ruben, o artilheiro. 

São a coluna vertebral do time. Campeão da Libertadores em 2015 pelo River, Lucho comanda o meio de campo força, cabeça sempre erguida, passes precisos. Firmeza. No dia a dia, é exemplo para os mais jovens pela sua dedicação. É sempre o primeiro a chegar e o último a ir embora do centro de treinamento do Furacão. A torcida reconhece. Saiu fortemente aplaudido da decisão. É o capitão e o coração do time. 

Athletico x River - Recopa

Marco Ruben é a sensação. Em 13 partidas, marcou 11 gols com a camisa do Athletico. Cinco deles foram contra a poderosa dupla argentina Boca-River. Quatro no Boca, um no River, que pode ter sido a chave para o título tão sonhado. Nas graças da torcida, ele desfruta do ótimo momento. "Para mim é maravilhoso fazer esses gols contra rivais tão grandes. Tenho de celebrar e tentar fazer o mesmo no jogo de volta no Monumental. Para mim é uma alegria imensa", disse, logo após decidir a partida contra seu ex-clube na Arena da Baixada. E ainda tem mais um confronto contra o Boca pelas oitavas de final da CONMEBOL Libertadores. 

Para a partida de volta, Tiago Nunes certamente conversará muito com Lucho e Ruben, que conhecem tão bem o Monumental de Nuñez e o River. As observações da dupla podem ser fundamentais para o Athletico alcançar a glória de dar a volta olímpica no mítico estádio de Buenos Aires. É um duelo a parte entre argentinos contra argentinos. 

No Athletico atual, ainda há os meias os argentinos Braian Romero e Tomás Andrade. Tem membro da comissão técnica. É quase uma legião, que encanta os torcedores e transmite confiança. Na próxima quinta-feira, argentinos festejarão. Mesmo que ganhe Athletico ou River. 

Fechar