CONMEBOL Libertadores 1967: Racing é campeão pela primeira vez e acirra disputa local

Depois de o rival Independiente levantar dois troféus seguidos, La Academia conquista a América em campanha longa

Racing e Independiente formam uma das maiores rivalidades do futebol argentino, e isso se expandiu para a América na década de 1960. O lado vermelho de Avellaneda já havia conquistado a CONMEBOL Libertadores por duas vezes (1964 e 1965), mas o lado azul não ficou atrás e conseguiu o feito em 1967.

A caminhada foi longa. Em uma Fase de Grupos com dez jogos, o time argentino se classificou em primeiro lugar, deixando o River Plate em segundo. Ficaram pelo caminho: Independiente Santa Fé e Independiente Medellín, ambos da Colômbia, e Bolívar e 31 de Octubre, representantes da Bolívia.

Racing Libertadores 1967

A fase semifinal, também no formato de chaves, contou novamente com o River, além de Colo-Colo, do Chile, e Universitário, do Peru. Depois de mais seis partidas, La Academia voltou a superar os rivais e avançou até a decisão para enfrentar o Nacional, do Uruguai.

A final inédita precisou do jogo desempate para o campeão ser conhecido. As partidas na Argentina e Uruguai terminaram sem gols, e a decisão foi para campo neutro, em Santiago, no Chile.

Cardozo e Raffo, artilheiro da edição com 14 gols, marcaram para o Racing. Viera descontou. A CONMEBOL Libertadores voltava para a Argentina, mas para um novo dono.

NÚMEROS DO CAMPEÃO

20 jogos
14 vitórias
4 empates
2 derrotas
44 gols pró
14 gols contra
Artilheiro: Norberto Raffo (14 gols)

FICHAS TÉCNICAS

Racing 0-0 Nacional

Data: 15/8/1967
Local: El Cilindro, Avellaneda (Argentina)
Libertadores: Final, ida
Árbitro: Cesar Orozco (Peru)

Racing: Agustín Cejas, Roberto Perfumo, Rubén Díaz, Oscar Martín, Miguel Ángel Mori, Alfio Basile, Jaime Martinoli, Juan Carlos Rulli, Norberto Raffo, Juan José Rodríguez, Humberto Maschio. Técnico: José Juan Pizuti.

Nacional: Rogelio Domínguez, Jorge Manicera, Emilio Álvarez, Luis Ubiña, Julio Montero Castillo, Juan Martín Mujica, Víctor Espárrago, Milton Viera, Celio Taveira, Rubén Sosa, José Urruzmendi. Técnico: Washington Etchmendi.

Nacional 0-0 Racing

Data: 25/8/1967
Local: Centenário, Montevidéu (Uruguai)
Libertadores: Final, volta
Árbitro: Cesar Orozco (Peru)

Nacional: Rogelio Domínguez, Jorge Manicera, Emilio Álvarez, Luis Ubiña, Julio Montero Castillo, Juan Martín Mujica, Víctor Espárrago, Milton Viera, Celio Taveira, Rubén Sosa, José Urruzmendi. Técnico: Washington Etchmendi.

Racing: Agustín Cejas, Roberto Perfumo, Rubén Díaz, Oscar Martín, Miguel Ángel Mori, Alfio Basile, João Cardozo, Juan Carlos Rulli, Juan Carlos Cárdenas, Norberto Raffo, Humberto Maschio. Técnico: José Juan Pizuti.

Racing 2-1 Nacional

Data: 29/8/1967
Local: Nacional, Santiago (Chile)
Libertadores: Final, jogo desempate
Árbitro: Rodolfo Perez Osorio (Paraguai)

Racing: Agustín Cejas, Roberto Perfumo, Rubén Díaz, Oscar Martín, Miguel Ángel Mori, Alfio Basile, João Cardozo (Fernando Parenti), Juan Carlos Rulli, Juan Carlos Cárdenas, Norberto Raffo, Humberto Maschio. Técnico: José Juan Pizuti.

Nacional: Rogelio Domínguez, Jorge Manicera, Emilio Álvarez, Luis Ubiña, Julio Montero Castillo, Juan Martín Mujica, José Urruzmendi, Milton Viera, Celio Taveira, Víctor Espárrago, Julio César Morales (Jorge Oyarbide). Técnico: Washington Etchmendi.

Gols: João Cardoso (14’), Norberto Raffo (43’); Milton Viera (79’).

Fechar