Pouca posse de bola e muita eficiência: assim joga o Palmeiras, o líder geral da CONMEBOL Libertadores

Com índice baixo de posse entre os 32 clubes da fase de grupos, time de Felipão é um dos que mais acerta o gol e mais chances reais cria. Na defesa, goleiro trabalha pouco

O Palmeiras é pelo segundo ano consecutivo o time de melhor campanha da fase de grupos da CONMEBOL Libertadores. A equipe de Luiz Felipe Scolari, semifinalista em 2018, fechou o Grupo F de 2019 com 13 gols marcados e apenas um sofrido, números que deixam os brasileiros com o melhor ataque e a melhor defesa da Copa.

São 15 pontos, marca só igualada pelo Cruzeiro, que perdeu o posto de líder geral na reta final ao ser derrotado em casa por 2 a 1 para o Emelec antes de o Palmeiras bater o San Lorenzo (1 a 0), no Allianz Parque. O desempate foi no saldo de gols: nove dos mineitos contra 12 dos paulistas, também o melhor número neste quesito na Libertadores.

E qual é o estilo de jogo que fez do Alviverde o melhor entre os 32 clubes da fase?

Os números da Copa apontam para um time de pouca posse bola, mas de muita eficiência e agressividade quanto ela está sob seu domínio. O River Plate, invicto e classificado com dez pontos no Grupo A, é a equipe que mais "gosta da bola": 62,49% de posse. O Palmeiras é um dos últimos neste ranking, com 42,39%. É o sexto "pior" entre todos os clubes da fase e só fica à frente do Nacional, que tem 39,74%, entre os classificados às oitavas.

Palmeiras - melhor da fase na Libertadores

Por consequência, o Alviverde é o time que menos troca passes no grupo dos 16 que seguem às oitavas: 2014 nas seis rodadas, o quarto índice mais baixo de toda a Libertadores. Para efeito de comparação, o Grêmio, no topo deste ranking, contabiliza 3265.

A posse de bola inferior aos demais não deixou de fazer do Verdão o melhor ataque. A explicação é o excelente aproveitamento ofensivo. O Palmeiras praticamente iguala o Grêmio em finalizações certas: 34 a 36. Os dois estão no top 5 entre os clubes que só fizeram seis partidas até agora na Copa.

O time de Felipão é um dos times com mais chances reais de gol criadas (19). Entra elas, nove terminaram em gol, o melhor índice da Libertadores na fase de grupos.

Felipão Scolari San Lorenzo Palmeiras Libertadores 02 04 2019

E se o Palmeiras chega com muito perigo ao gol do adversário, a meta de Weverton tem sido muito pouco ameaçada. Apenas o San Lorenzo, na vitória de ida por 1 a 0, em Buenos Aires, chegou às redes palmeirenses. O goleiro do time paulista é o quarto que menos trabalhou na Copa, com 11 defesas. É a equipe que menos sofreu chutes a gol entre os 32.

Individualmente, o destaque palmeirense da primeira fase vai para Gustavo Scarpa, eleito em três das seis rodadas como o #CraqueDoJogo. O meia, que precisou de só 13 minutos na última partida para fazer um gol, marcou quatro vezes e é o artilheiro da equipe na Copa. Balançou a rede contra todos os adversários do Grupo F.

Fechar