CONMEBOL Libertadores 1961: Peñarol bate Palmeiras e se torna primeiro bicampeão da Copa

No Pacaembu, uruguaios frustram primeira conquista brasileira no torneio e mantêm status de melhor time do continente

O primeiro campeão. O primeiro bicampeão. O início da história da CONMEBOL Libertadores passa obrigatoriamente pelo Peñarol.

Vencedor da edição inaugural da Copa, em 1960, o time uruguaio repetiu a dose no ano seguinte. Na final, superou em dois jogos o Palmeiras, o primeiro brasileiro a decidir o torneio.

Nove equipe participaram da Libertadores 1961, sendo que sete já estavam garantidas nas quartas de final - o Santa Fé eliminou o Barcelona na fase preliminar para se tornar o oitavo classificado. O primeiro adversário do Peñarol foi o Universitario, goleado por 5 a 0 na ida. Apesar da derrota por 2 a 0 em Lima, os Carboneros foram às semifinais.

Os atuais campeões da Copa não tomaram conhecimento do Olimpia e, com duas vitórias (3 a 1 e 2 a 1), se garantiram na final para enfrentar o Palmeiras, que havia passado por Independiente e Santa Fe.

No primeiro duelo da decisão, em Montevidéu, vitória do Peñarol por 1 a 0, com gol de Alberto Spencer, o maior artilheiro da história da Libertadores (54 gols).

A volta, no Pacaembu, contou com gol de José Sasía logo aos cinco minutos. Nardo, aos 70, empatou para o Palmeiras, não conseguiu evitar a festa uruguaia. O empate por 1 a 1 sacramentou o bi do Peñarol.

NÚMEROS DO CAMPEÃO

6 jogos
4 vitórias
1 empate
1 derrota
12 gols pró
5 gols contra
Artilheiros: Alberto Spencer, José Sasía e Juan Joya (3 gols)

FICHAS TÉCNICAS 

Peñarol 1-0 Palmeiras

Data: 4/6/1961
Local: Centenário, Montevidéu (Uruguai)
Libertadores: Final, ida
Árbitro: José L. Praddaude (Argentina)

Peñarol: Luis Maidana, William Martínez, Núber Cano, Edgardo González, Roberto Matosas, Walter Aguerre, Luis Cubilla, Ernesto Ledesma, Alberto Spencer, José Sasía, Juan Joya. Técnico: Roberto Scarone.

Palmeiras: Valdir, Djalma Santos, Valdemar Carabina, Zequinha, Aldemar, Geraldo Scotto, Julinho, José Romeiro, Humberto Tozzi, Chinesinho, Geraldo da Silva. Técnico: Armando Renganeschi.

Gol: Alberto Spencer (89')

Palmeiras 1-1 Peñarol

Data: 11/6/1961
Local: Pacaembu, São Paulo (Brasil)
Libertadores: Final, volta
Árbitro: José L. Praddaude (Argentina)

Palmeiras: Valdir, Djalma Santos, Valdemar Carabina, Zequinha, Aldemar, Geraldo Scotto, Julinho, José Romeiro (Nardo), Chinesinho, Geraldo da Silva, Gildo. Técnico: Armando Renganeschi.

Peñarol: Luis Maidana, William Martínez, Núber Cano, Edgardo González, Roberto Matosas, Walter Aguerre, Luis Cubilla, Ernesto Ledesma, Alberto Spencer, José Sasía, Juan Joya. Técnico: Roberto Scarone.

Gols: José Sasía (5'); Nardo (70').

Fechar