CONMEBOL Libertadores 1960: Pioneiro! Peñarol bate Olimpia e se torna o primeiro campeão da Copa

Uruguaios estrearam com goleada por 7 a 1 e levantaram fora de casa o troféu da edição de abertura do torneio

Ser pioneiro faz parte da história do Club Atlético Peñarol. Vencedores do primeiro torneio profissional de futebol do Uruguai, em 1932, os Carboneros se sagraram campeões da edição de estreia da CONMEBOL Libertadores, em 1960, superando o Olimpia na final.

Sete clubes participaram da Copa - o Bahia foi o representante brasileiro na competição. Três confrontos mata-matas definiram os classificados que se juntariam ao Olimpia nas semifinais.

O Peñarol disputou o jogo de abertura da Libertadores, em 19 de abril de 1960. No Centenário, em Montevidéu, goleou o Jorge Wilstermann por 7 a 1. Ratificou vaga na semi ao empatar fora de casa com os bolivianos por 1 a 1.

O adversário por um lugar na primeira decisão de título da Copa foi o San Lorenzo, superado após uma batalha de três jogos: empates na ida (0 a 0, no Uruguai) e na volta (1 a 1, na Argentina) e vitória do Peñarol por 2 a 1 no jogo de desempate, também em Montevidéu. O segundo finalista foi o Olimpia, que eliminou o Millonarios. 

Com gol de Alberto Spencer, que se tornaria o maior artilheiro da história da Copa (54 gols), o Peñarol venceu os paraguaios por 1 a 0 no jogo de ida da final, no Centenário.

Na volta, no Defensores del Chaco, o Olimpia abriu o placar com Hipólito Recalde, aos 29 minutos, e precisava vencer para forçar uma partida de desempate, mas Luis Cubilla, aos 82, decretou o empate por 1 a 1.

Coube, então, ao defensor William Martínez a honraria de ser o primeiro capitão a levantar o troféu de campeão da CONMEBOL Libertadores. O Peñarol também forjou o primeiro brasileiro a vencer o torneio: Salvador, ex-Internacional.

Peñarol campeão Libertadores 1960

NÚMEROS DO CAMPEÃO

7 jogos
3 vitórias
4 empates
13 gols pró
5 gols contra
Artilheiro: Alberto Spencer (7 gols)

FICHAS TÉCNICAS 

Peñarol 1-0 Olimpia

Data: 12/6/1960
Local: Centenário, Montevidéu (Uruguai)
Libertadores: Final, ida
Árbitro: Carlos Robles (Chile)

Peñarol: Luis Maidana, William Martínez (Francisco Majewski), Salvador, Santiago Pino, Roberto Matosas, Walter Aguerre, Luis Cubilla, Carlos Abel Linazza, Alberto Spencer, Júpiter Crescio, Carlos Borges. Técnico: Roberto Scarone.

Olimpia: Herminio Arías, Edelmiro Arévalo, Juan Vicente Lezcano, Pascual Rojas, Mariano Osorio, Claudio Lezcano, Vicente Rodríguez, Hipólito Recalde, Luis Doldán, Pedro Cabral, Teobaldo Melgarejo. Técnico: Aurelio González.

Gol: Alberto Spencer (76')

Olimpia 1-1 Peñarol

Data: 19/6/1960
Local: Defensores del Chaco, Assunção (Paraguai)
Libertadores: Final, volta
Árbitro: José Luis Praddaude (Argentina)

Olimpia: Herminio Arías, Edelmiro Arévalo, Juan Peralta, Eligio Echague, Pascual Rojas, Mariano Osorio, Claudio Lezcano, Vicente Rodríguez, Hipólito Recalde, Luis Doldán, Pedro Cabral. Técnico: Aurelio González.

Peñarol: Luis Maidana, William Martínez, Salvador, Santiago Pino, Néstor Goncálves, Walter Aguerre, Luis Cubilla, Carlos Abel Linazza, Alberto Spencer (Juan Eduardo Hohberg), José Griecco, Carlos Borges. Técnico: Roberto Scarone.

Gols: Hipólito Recalde (29'); Luis Cubilla (82').

Fechar