CONMEBOL Libertadores 1990: Olimpia despacha brasileiros na Fase de Grupos e conquista bicampeonato

Paraguaios levaram a melhor sobre Grêmio e Vasco na campanha e reconquistaram a Copa com o mesmo treinador campeão em 1979

A CONMEBOL Libertadores 1990 contou com paraguaios e brasileiros no mesmo grupo. Dos representantes do Brasil, o Vasco, campeão brasileiro do ano anterior e com jogadores renomados, e Grêmio, campeão da Copa do Brasil.

No banco de reservas do Olimpia estava Luis Cubilla, treinador que liderou o clube ao inédito título continental em 1979.

O Paraguai contava com as forças dos tradicionais Olimpia e Cerro Porteño, e ambos levaram a melhor sobre os rivais, conquistado os primeiro e segundo lugares no grupo, respectivamente. O Vasco avançou em terceiro.

Nos mata-matas, o Olimpia venceu a Universidad Católica em casa por 2 a 0 e empatou em um incrível 4 a 4 no Chile para avançar. Na semifinal, uma vitória sobre o Atlético Nacional por 2 a 1, na Colômbia, deu a impressão de que a vaga em Assunção seria tranquila.

Mas os colombianos do goleiro Higuita surpreenderam e devolveram o placar, levando a decisão para os pênaltis. O lendário arqueiro perdeu uma cobrança, e a classificação ficou com os paraguaios.

O Barcelona foi o rival da final. Adriano Samaniego, artilheiro da edição com sete gols, deixou o dele na ida, no Defensores del Chaco, no triunfo por 2 a 0. O empate por 1 a 1, no Equador, foi o suficiente para garantir ao Olimpia o bicampeonato.

NÚMEROS DO CAMPEÃO

12 jogos
6 vitórias
3 empates
3 derrotas
22 gols pró
17 gols contra
Artilheiro: Adriano Samaniego (7 gols)

FICHAS TÉCNICAS

Olimpia 2-0 Barcelona

Data: 3/10/1990
Local: Defensores del Chaco, Assunção (Paraguai)
Libertadores: Final, ida
Árbitro: Juan Daniel Cardellino (Uruguai)

Olimpia: Ever Hugo Almeida, Juan Zacarías Ramírez, Mario Ramírez, Remigio Fernández, Silvio Suárez, Jorge Guasch, Fermín Balbuena (Cristóbal Cubilla), Luis Alberto Monzón, Gabriel González, Adriano Samaniego, Raúl Vicente Amarilla. Técnico: Luis Cubilla.

Barcelona: Carlos Luis Morales, Jimmy Izquierdo, Pablo Martínez, Wilson Macías, Freddy Bravo, Mario Saralegui, Carlos Muñoz (Hans Maldonado), Johnny Proaño (David Bravo), Marcelo Trobbiani, Jimmy Jiménez, Luis Alberto Acosta. Técnico: Miguel Ángel Brindisi.

Gols: Raúl Vicente Amarilla (25’), Adriano Samaniego (78’).

Barcelona 1-1 Olimpia

Data: 10/10/1990
Local: Estádio Monumental, Guayaquil (Equador)
Libertadores: Final, volta
Árbitro: Juan Carlos Loustau (Argentina)

Barcelona: Carlos Luis Morales, Jimmy Izquierdo, Pablo Macías, Freddy Bravo, Julio Guzmán (Johnny Proaño), Mario Saralegui, Carlos Muñoz, David Bravo; Marcelo Trobbiani, Manuel Uquillas, Luis Alberto Acosta. Técnico: Miguel Brindisi.

Olimpia: Ever Hugo Almeida, Juan Zacarías Ramírez, Mario Ramírez, Remigio Fernández, Silvio Suárez, Jorge Guasch, Fermín Balbuena, Adolfo Jara Heyn (Gabriel González); Luis Alberto Monzón, Adriano Samaniego, Raúl Vicente Amarilla (Carlos Vidal Sanabria). Técnico: Luís Cubilla.

Gols: Marcelo Trobbiani (62’); Raúl Vicente Amarilla (81’).

Fechar