O vermelho e o branco: as duas paixões de D'Alessandro no duelo entre Inter e River pela Libertadores

Pela primeira vez na carreira, meia argentino enfrentará o clube que o formou vestindo a camisa do Colorado. Em noite especial, o coração se divide e ele promete não comemorar se fizer gol

"Qualquer um, menos o River". 

Assim Andrés D'Alessandro respondeu ao ser perguntado sobre quais adversários gostaria de encarar em sua 10ª Copa CONMEBOL Libertadores, a 5ª pelo Internacional. Era óbvio, para D'Ale era melhor evitar o confronto com o clube que o formou. O coração inevitavelmente ficaria dividido. Mas ficará. O apelo não foi suficiente e, nesta quarta-feira, criador e criatura ficarão frente a frente no Beira-Rio. Será a primeira vez que o meia enfrentará o River Plate (ARG) vestindo somente vermelho e branco. Destino. 

A partida, claro, mexeu com D'Alessandro. Aos 37 anos, o argentino terá na mesma noite as duas instituições mais importantes de sua carreira. Por Inter e River, disputou nada mais nada menos do que 65 jogos de Libertadores. Venceu a competição em 2010, liderando o Colorado. Mas fez mais gols pelo clube argentino mesmo atuando menos. Foram sete em 28 partidas, contra seis em 37 jogos pelo Inter. Não há dúvidas de que será uma noite especial. "São duas equipes muito parecidas. Primeiro as cores: vermelho e branco. Tudo a ver com River e Inter. Houve um ano em que usamos aqui uma camisa branca com a listra na diagonal. os estádios são muito parecidos, circulares. São duas equipes com uma história muito bonita, com estádios à beira do Rio. Fazem parte da minha vida, é emocionante e mexerá comigo sem dúvida alguma. Dentro do possivel tentarei me manter concentrado no jogo", afirmou o meia, na véspera do tão aguardado confronto.

D'Alessandro x D'Alessandro

O carinho do jogador pelo River será demonstrado mesmo se ele fizer um gol esta noite. D'Ale prometeu que não vai comemorar caso isso aconteça. "Obviamente é meu trabalho. o Inter merece todo meu respeito. estou no clube há 11 anos e merece meu melhor. Que eu faça o impossivel para ganhar, mas se fizer um gol não comemorarei, por respeito ao River, onde tudo começou. E tenho certeza de que o torcedor do Inter entenderá", falou. 

Pela Libertadores, D'Ale teve ainda uma participação pelo San Lorenzo (ARG), em 2008, quando o destino lhe pregou a primeira peça. Nas oitavas de final, se deparou com o River. Acabou sendo importante para a classificação após vitória por 2 a 1 em casa e empate em 2 a 2 fora. Já em 2016, foi liberado por empréstimo pelo Inter para voltar à Argentina e tentou conduzir seu clube formador ao bicampeonato. Ficou pelo caminho. Voltou para devolver o Colorado à Copa. 

D'Alessandro sobre o River

Após duas rodadas, o Internacional lidera o Grupo A com seis pontos, contra dois do River Plate. Uma vitória colorada nesta noite encaminha a classificação e deixa os argentinos em situação complicada. Em campo, estará D'Alessandro, louco para voltar ao topo da América. Para isso, terá de deixar um amor pelo caminho. 

O sorteio não foi amigo do camisa 10. 

Fechar