O dia em que Enzo Pérez foi papai e ganhou a CONMEBOL Libertadores

Há nove anos, jogador do River Plate defendia o Estudiantes e venceu o Cruzeiro na final no mesmo dia em que o filho Santiago nasceu na cidade de Mendoza

Cada vez que Enzo Pérez pensa em 15 de julho de 2009, o jogador abre um largo sorriso. A primeira recordação é comemorada a cada ano quando a família se junta em volta de um bolo para festejar o aniversário de Santiago, o filho mais velho do atleta do River Plate. A segunda está na memória de qualquer torcedor do Estudiantes. No mesmo dia, a equipe de La Plata, comandada por Alejando Sabella, venceu o Cruzeiro, no Mineirão, e conquistou a Copa CONMEBOL Libertadores.

"Quem não conhece o meio futebolístico pode pensar que é um mundo cor de rosa, que tudo é lindo e que o jogador é privilegiado. Mas não é assim, mesmo que a gente tenha sorte de fazer o que mais gostamos, que é jogador futebol, e ganhamos dinheiro por isso. Mas, por exemplo, eu não pude estar no nascimento do meu filho, algo que talvez outro pai poderia", contou Pérez, alguns dias depois, em sua casa em Mendoza. A mulher, Florencia, deu à luz na mesma cidade e, do hospital, via a partida pela televisão. Às 17h35 daquele 15 de julho, nasceu Santiago Enzo. Enzo, como o pai, que assim se chama por causa do ídolo do River, Francescoli, campeão da Libertadores de 1996.

AFP Enzo Pérez Cruzeiro

Pérez tinha apenas 23 anos quando conquistou o título. Ele jogava no meio de campo ao lado de Juan Sebastián Verón, Rodrigo Baña e Leandro Benítez. Para chegar à final, o Estudiantes venceu o Libertad (oitavas), Defensor (quartas) e Nacional, do Uruguai (semis). "Naquela idade, não imaginava ser pai, muito menos campeão da Libertadores", contou.

Enzo Pérez sempre foi torcedor do River. O ídolo é o ex-atleta e hoje dirigente, Enzo Francescoli. "Eu liguei louco para o meu empresário quando tinha a chance de ir para o River", contou o jogador, após a vitória do clube na semifinal da Libertadores, contra o Grêmio. Certa vez, após um treino, o jogador foi chamado pelo então treinador Leonardo Astrada. Pérez imaginava ser uma conversa de rotina, mas foi surpreendido com um encontro com Francescoli. "Eu tremi, não sabia o que dizer, mas pude tirar fotos", contou.

Após nove anos, Enzo, o Pérez, volta a disputar uma final de Libertadores, a ser decidida neste domingo, contra o Boca Juniors, em Madrid. Em um ano especial que disputou sua segunda Copa do Mundo, o jogador pode, agora, erguer a taça vestindo a camisa do seu time de coração com o seu filho Santiago o assistindo em campo.

Fechar