Com Armani herói, River Plate bate Cruzeiro nos pênaltis e segue em defesa do título da Libertadores

Em um grande duelo de estratégia entre campeões, goleiro argentino garantiu a classificação para as quartas de final com duas defesas de pênalti e um milagre no tempo normal

O futebol possui tantas nuances que certos confrontos por vezes tomam forma de outros esportes. A estratégia remete ao jogo de xadrez. A força, agilidade e inteligência para dosar os golpes conferem um toque de boxe. Cruzeiro e River Plate, um duelo de campeões, foi uma aula de pugilismo, que terminou com a vitória de quem seu manteve em pé por mais tempos. Atuais campeões, os argentinos defenderam o cinturão com vitória por 4-2 nos pênaltis após empate em 0-0 no tempo normal e estão nas quartas de final da CONMEBOL Libertadores. 

Bate, se esquiva, ataca, recua, bate de novo, equilibra, pensa, respira. Os 180 minutos do embate entre brasileiros e argentinos foram dignos de boxe. No Mineirão, a plateia presenciou um jogo de paciência, tensão e que virou o goleiro Franco Armani sair como o grande herói. Com atuação de campeão, o paredão argentino garantiu o 0-0 no tempo normal com uma defesa antológica e teve concentração de peso pesado para defender as penalidades de Henrique e David. Um herói de luvas! 

O River Plate de Marcelo Gallardo é o maior golpeador do futebol sul-americano. Ninguém combina melhor estratégia e força quanto os argentinos. A facilidade para se impor e oferecer perigo ao adversário imprensa. Do outro lado, porém, havia uma equipe que sabe sofrer. Que pode ser encurralado no canto do ringue, mas dificilmente abre a guarda. Só assim para resistir tanto contra os campeões. Mas o Cruzeiro também bateu. E forte. 

Já citado, Armani chegou a ir ao chão. Mas conseguiu salvar a bofetada de Pedro Rocha, que ainda bateu no travessão. O Mineirão tremeu neste momento. Seria o gol que poderia garantir a classificação histórica. Até porque, pela atuação de Dedé, o River teria de ser muito ágil se quisesse vazar os guerreiros de Mano Menezes. 

Mas, como numa luta de boxe, só há um vencedor no futebol. E a frieza do River, competência na hora de chegar ao soar do apito, prevaleceu. Nas quartas, a equipe que já venceu a Libertadores quatro vezes defenderá o título contra San Lorenzo ou Cerro Porteño, que se enfrentam nesta quarta-feira.

Fechar