Jogadores do Grêmio exaltam e detalham trabalho do vitorioso Renato Portaluppi: 'Um cara fantástico'

Campeão como jogador e treinador do clube gaúcho, ídolo da torcida recebe também o carinho do elenco que dirige na CONMEBOL Libertadores

A devoção a Renato Portaluppi é uma das maiores marcas da história do Grêmio. Campeão da CONMEBOL Libertadores como jogador e treinador do clube gaúcho, Renato colhe os frutos dentro e fora do campo. Seu elenco atual parece unânime na exaltação ao seu comandante. As palavras dos jogadores refletem um respeito conquistado ao longo de cinco anos digirindo um grupo vencedor. 

Em uma sessão de entrevistas realizada para os canais da CONMEBOL Libertadores, os jogadores do Grêmio enfileiraram elogios ao chefe. Dos mais jovens aos mais experientes. "Fantástico", "vitorioso", "fundamental" e "diferenciado" foram alguns dos adjetivos. Em comum, o tom de admiração. 

"É uma relação muito importante, porque é um treinador vitorioso. Foi campeão como jogador, como treinador também, então ele passa essa experiência pra gente, e ele estar ali do lado de fora do campo é muito importante durante os jogos porque a gente sabe a cobrança que ele tem em cima de nós. Por ser vitorioso, ele passa esse espírito competitivo pra gente também. A gente tá sempre buscando e tirando as experiências que ele teve, não só como jogador, mas como treinador agora", afirmou Everton Cebolinha, craque do Grêmio. 

Um depoimento importante vem do capitão Geromel. O zagueiro reconhece as virtudes do técnico como gerenciador de grupo, mas acredita ser um erro reduzir Renato a este aspecto. 

"Trabalho com ele desde que ele chegou no Grêmio, tem três ou quatro anos, e todo mundo fala dessa parte motivacional, que ele consegue motivar o time por um período tão longo de tempo, que é muito difícil, e realmente ele é muito bom nisso, mas pouca gente fala do conhecimento técnico e tático que ele tem. Ele é uma pessoa diferenciada, porque ele vê sempre na frente, tá sempre preparado, vive o futebol muito intensamente, então ele cobra isso da gente", analisou o zagueiro.

"Ele cobra a gente “indiferenciavelmente” se sou eu ou se é um menino que tá subindo da base, não faz assepsia de pessoas, o que eu acho fundamental pro sucesso esportivo e outra coisa que ele tem é o conhecimento dentro do campo. Ele já vivenciou, passou por tudo isso e ele transporta isso pra gente. Faz com que a gente tenha mais tranquilidade, ele passa as coisas que ele já viveu, então ele foi fundamental pra gente ter conquistado o título da Libertadores, ter conquistado o sucesso que a gente vem conquistando recentemente. Eu to muito feliz por ele ter continuado, acho que a continuidade é um dos segredos do nosso time e espero que continue assim por um bom tem", completou. 

Nessa passagem pelo Grêmio, que rendeu o título da Libertadores 2017, Renato reforçou sua qualidade para lapidar garotos. Um deles é Matheus Henrique, titular absoluto do time desde o ano passado. O volante de 22 anos foi sucessor natural de Arthur, hoje no Barcelona-ESP, e reconhece a importância do técnico em seu desenvolvimento.

"O que eu posso falar dele é das melhores coisas possíveis. É um cara muito correto, muito justo e é como o Gerolmel falou, ele entende muito de futebol, ele tem muita leitura de jogo e o principal: ele sabe lidar com a gente, ele sabe lidar com o grupo. É o que ele mais fala pra gente, que ele não treina 11 jogadores, ele treina um grupo. Então quem ele sempre coloca dentro de campo tá todo mundo preparado, porque ele dá essa liberdade, dá essa confiança e isso torna mais fácil pra gente dentro de campo. A gente procura se ajudar bastante, se fechar bastante, nosso grupo é sempre unido, todos os anos que eu to aqui desde que eu su

A admiração se estende aos mais experientes, inclusive aqueles que já tinham trabalhado com Portaluppi em outros clubes. É o caso de Thiago Neves, vice-campeão da Libertadores em 2008 pelo Fluminense ao lado de Renato. 

"Óbvio que ter vindo para o Grêmio teve o apoio dele, então me sinto em casa. Vários jogadores eu também já conhecia. Não só pra mim, mas acho que pra todo mundo, ele é muito parceiro, é um cara que cobra no momento que tem que cobrar, mas é importante pro jogador ter um treinador que seja seu parceiro no dia a dia e é isso que ele procura ser e isso, pra gente, facilita muito", afirmou o camisa 10.

Renato Portaluppi foi campeão da Libertadores em 1983 como jogador do Grêmio e em 2017 como treinador.

Fechar