CONMEBOL Libertadores 1974: Independiente amplia soberania continental e levanta quinto título

Argentinos levantaram o terceiro troféu consecutivo após superar o São Paulo na decisão

O Independiente tomou gosto pela CONMEBOL Libertadores e, em 1974, faturou o quinto título continental, o terceiro em sequência. Com o benefício de entrar somente na chave de grupos da semifinal, os argentinos mantiveram a rotina de conquistas.

A chave da semi contou com Huracán e Peñarol. Com duas vitórias e dois empates, os atuais campeões não tiveram dificuldade de avançar até mais uma decisão.

Naquela altura, o time de Avellaneda havia abdicado do Campeonato Argentino para focar na Libertadores, uma vez que a estratégia tinha dado resultado nos anos anteriores.

Em 1974, a final foi contra o São Paulo e foi preciso três partidas para a América conhecer o campeão. No Morumbi, o Tricolor paulista virou e venceu por 2 a 1 no primeiro confronto.

Em Avellaneda, os campeões fizeram 2 a 0, forçando o jogo desempate, disputado em Santiago. O herói da conquista foi o goleiro Carlos Gay, que defendeu pênalti de Zé Carlos Serrão no fim, quando os argentinos venciam por 1 a 0, gol Pavoni, também em penalidade.

Assim como nos dois anos anteriores, o troféu da Libertadores não mudou de casa e seguiu com o Independiente.

NÚMEROS DO CAMPEÃO

7 jogos
4 vitórias
2 empates
1 derrota
12 gols pró 
6 gols contra 
Artilheiro: Daniel Bertoni (4 gols)

FICHAS TÉCNICAS

São Paulo 2-1 Independiente

Data: 12/10/1974
Local: Pacaembu, São Paulo (Brasil)
Libertadores: Final, ida
Árbitro: Edison Perez (Peru)

São Paulo: Valdir Peres, Nelsinho Baptista, Paranhos, Arlindo, Gilberto, Ademir (Chicão), Zé Carlos (Mauro), Pedro Rocha, Terto, Mirandinha, Piau. Técnico: José Poy.

Independiente: Carlos Gay; Eduardo Commisso, Francisco Sá, Miguel Ángel López, Ricardo Pavoni, Rubén Galván, Miguel Ángel Raimondo, Hugo Saggioratto, Agustín Balbuena, Ricardo Bochini, Daniel Bertoni. Técnico: Roberto Ferreiro.

Gols: Pedro Rocha (48’), Mirandinha (50’); Hugo Saggioratto (28’). 

Independiente 2-0 São Paulo

Data: 16/10/2020
Local: Avellaneda, Avellaneda (Argentina)
Libertadores: Final, volta
Árbitro: Ramón Barreto (Uruguai)

Independiente: Carlos Gay, Eduardo Commisso, Francisco Sá, Miguel Ángel López, Ricardo Pavoni, Rubén Galván, Miguel Ángel Raimondo, Hugo Saggioratto, Agustín Balbuena, Ricardo Bochini, Daniel Bertoni (Alejandro Semenewicz). Técnico: Roberto Ferreiro.

São Paulo: Valdir Peres, Nelsinho Baptista, Paranhos, Arlindo, Gilberto, Chicão, Pedro Rocha, Mauro, Terto, Mirandinha, Piau. Técnico: José Poy.

Gols: Ricardo Bochini (34’), Agustín Balbuena (48’).

Independiente 1-0 São Paulo

Data: 19/10/1974
Local: Estádio Nacional, Santiago (Chile)
Libertadores: Final, desempate
Árbitro: Cesar Orozco (Peru)

Independiente: Carlos Gay, Eduardo Commisso, Francisco Sá, Miguel Ángel López, Ricardo Pavoni, Rubén Galván, Miguel Ángel Raimondo, Alejandro Semenewicz, Agustín Balbuena (Osvaldo Carrica), Ricardo Bochini, Daniel Bertoni (Luis Giribet). Técnico: Roberto Ferreiro.

São Paulo: Valdir Peres, Pablo Forlán, Paranhos, Arlindo, Gilberto (Nelsinho Baptista), Chicão, Zé Carlos (Silva), Pedro Rocha, Mauro, Mirandinha, Piau. Técnico: José Poy.

Gol: Ricardo Pavoni (27’).

Fechar