CONMEBOL Libertadores 1973: Independiente se torna primeiro tetracampeão da história da Copa

Argentinos superam Colo-Colo em três jogos na final e levanta o segundo dos quatro títulos faturados na década de 1970

Os anos 1970 pertenceram a um clube na América do Sul: o Independiente. Em 1973, os argentinos conquistaram pela quarta vez o título da CONMEBOL Libertadores, os primeiros a atingirem esse número de troféus da Copa.

Para faturar o segundo dos quatro torneios que faturou na década, o Independiente superou o Colo-Colo, vencendo a partida de desempate da final por 2 a 1, na prorrogação. Miguel Ángel Giachello, aos 106 minutos, sacramentou o triunfo.

Como atual campeão do torneio, o time de La Plata entrou na competição apenas na segunda fase, um hexagonal com Colo-Colo, San Lorenzo, Cerro Porteño, Botafogo e Millonarios. Os dois primeiros se classificariam à final.

Foram dois empates entre Independiente e Colo-Colo - 1 a 1 na Argentina e 0 a 0 no Chile. No dia 6 de junho de 1973, as duas equipes foram a campo no Estádio Centenário, em Montevidéu, e travaram uma batalha emocionante.

Os gols saíram no primeiro tempo: Mario Mendoza abriu o placar para o Independiente, mas antes do intervalo, aos 41, Carlos Caszely empatou para os chilenos. Mesmo com torcida contrária, já que os uruguaios presentes no estádio resolveram apoiar o Colo-Colo, o Independiente calou o Centenário com Giachello e levantou o tetra. 

NÚMEROS DO CAMPEÃO

7 jogos
3 vitórias
3 empates
1 derrota
8 gols pró
5 gols contra
Artilheiro: Miguel Ángel Giachello (3 gols)

FICHAS TÉCNICAS 

Independiente 1-1 Colo-Colo

Data: 22/5/1973
Local: Avellaneda (Argentina)
Libertadores: Final, ida
Árbitro: Milton Lorenzo (Uruguai)

Independiente: Miguel Ángel Santoro, Eduardo Commisso, Miguel Ángel López, Francisco Sá, Ricardo Pavoni, Héctor Martínez, Miguel Ángel Raimondo, Alejandro Semenewicz, Agustín Balbuena (Daniel Bertoni), Miguel Ángel Giachello (Eduardo Maglioni), Mario Mendoza. Técnico: Humberto Maschio.

Colo-Colo: Adolfo Nef, Mario Galindo, Rafael González, Leonel Herrera, Alejandro Silva, Guillermo Páez, Franscisco Valdés, Sergio Messen, Fernando Osorio (Carlos Caszely), Sergio Ahumada, Leonardo Véliz (Alfonso Lara). Técnico: Luis Alamos.

Gols: Mario Mendoza (30'); Francisco Sá (69' contra).

Colo-Colo 0-0 Independiente

Data: 29/5/1973
Local: Nacional, Santiago (Chile)
Libertadores: Final, volta
Árbitro: Romualdo Arppi Filho (Brasil)

Colo-Colo: Adolfo Nef, Mario Galindo, Leonel Herrera, Rafael González, Alejandro Silva, Guillermo Páez, Franscisco Valdés, Sergio Messen, Fernando Osorio, Carlos Caszely, Leonardo Véliz. Técnico: Luis Alamos.

Independiente: Miguel Ángel Santoro, Eduardo Commisso, Miguel Ángel López, Francisco Sá, Ricardo Pavoni, Héctor Martínez, Miguel Ángel Raimondo, Alejandro Semenewicz, Agustín Balbuena (Daniel Bertoni), Miguel Ángel Giachello (Eduardo Maglioni), Mario Mendoza. Técnico: Humberto Maschio.

Independiente 2-1 Colo-Colo

Data: 6/6/1973
Local: Centenário, Montevidéu (Uruguai)
Libertadores: Final, desempate
Árbitro: José Romei (Paraguai)

Independiente: Miguel Ángel Santoro, Eduardo Commisso, Miguel Ángel López, Francisco Sá, Ricardo Pavoni, Rubén Galván, Miguel Ángel Raimondo, Alejandro Semenewicz, Daniel Bertoni, Eduardo Maglioni (Ricardo Bochini), Mario Mendoza (Miguel Ángel Giachello). Técnico: Humberto Maschio.

Colo-Colo: Adolfo Nef, Mario Galindo, Leonel Herrera, Rafael González, Alejandro Silva (Gerardo Castañeda), Guillermo Páez, Franscisco Valdés, Sergio Messen, Carlos Caszely, Sergio Ahumada, Leonardo Véliz (Alfonso Lara). Técnico: Luis Alamos.

Gols: Mario Mendoza (25'), Miguel Ángel Giachello (106'); Carlos Caszely (39').

Fechar