CONMEBOL Libertadores 1964: Independiente abre caminho para se tornar o maior campeão da América

Clube argentino fatura o primeiro dos sete títulos, o que o torna o principal vencedor da Copa até hoje

A primeira vez a gente não se esquece. O Independiente deu o pontapé inicial para se tornar o maior campeão da CONMEBOL Libertadores em 1964. Na edição que contou com a participação dos dez países da América do Sul, o título ficou com a Argentina, de maneira inédita.

Invicto, o Independiente não teve dificuldade para avançar na fase de grupos após superar Alianza Lima, do Peru, e Millonarios, da Colômbia. Na semifinal, o Santos, então bicampeão, era o rival a ser batido.

Com Pelé e Coutinho machucados e Dorval de saída para o Racing, o Peixe acabou superado por duas vezes. Os argentinos venceram por 3 a 2, de virada, no Maracanã, e fizeram 2 a 1 em Avellaneda.

Na decisão, o Nacional também não foi capaz de segurar o campeão invicto. Empate sem gols em Montevidéu e vitória pelo placar mínimo na Argentina, com gol do artilheiro Mario Rodríguez.

Independiente Libertadores 1964

NÚMEROS DO CAMPEÃO

7 jogos
5 vitórias
2 empates
17 gols pró
6 gols contra
Artilheiro: Mario Rodríguez (6 gols)

FICHAS TÉCNICAS

Nacional 0-0 Independiente

Data: 6/8/1964
Local: Estádio Centenário, Montevidéu (Uruguai)
Libertadores: Final, ida
Árbitro: Leopold Hom (Holanda)

Nacional: Roberto Sosa, Edgar Baeza, Emilio Álvarez, Luis Ramos, Eliseo Álvarez, Mario Méndez, Domingo Pérez, Vladas Douksas, Jaburu, Sergio Arias (Mario Bergara), José Urruzmendi. Técnico: Zezé Moreira.

Independiente: Miguel Ángel Santoro, Héctor Zerrillo, Tomás Rolan, Roberto Ferreiro, David Acevedo (Miguel Ángel Mori), Jorge Maldonado, Raúl Bernao, Osvaldo Mura, Luís Suárez, Mario Rodríguez, Raúl Savoy. Técnico: Manuel Giudice.

Independiente 1-0 Nacional

Data: 12/8/1964
Local: Avellaneda, Avellaneda (Argentina)
Libertadores: Final, volta
Árbitro: José Dimas Larrosa (Paraguai)

Independiente: Miguel Ángel Santoro, Juan Carlos Guzmán, Tomás Rolan, Roberto Ferreiro, David Acevedo, Jorge Maldonado, Raúl Bernao, Pedro Prospitti, Luís Suárez, Mario Rodríguez, Raúl Savoy. Técnico: Manuel Giudice.

Nacional: Roberto Sosa, Edgar Baeza, Emilio Alvarez, Luis Ramos, Eliseo Alvarez, Mario Méndez, Jorge Oyarbide, Vladas Douksas, Jaburu, Domngo Pérez, José Urruzmendi (Mario Bergara). Técnico: Zezé Moreira.

Gol: Mario Rodríguez (35').

Fechar