24 de abril de 2003: Iarley cala a Bombonera em histórica vitória do Paysandu sobre o Boca Juniors na Libertadores

Papão repetiu feito de Santos de Pelé e Cruzeiro de Ronaldo em sua única participação na Copa

O Paysandu fez história em sua primeira e única participação na CONMEBOL Libertadores, em 2003. O feito mais lembrado da campanha do clube paraense foi a vitória por 1 a 0 sobre o Boca Juniors em La Bombonera, o temido estádio dos Xeneizes.

Classificado por conta da conquista do título da Copa dos Campeões, em 2002, o Papão passou invicto pela Fase de Grupos, com 14 pontos (quatro vitórias e dois empates) e avançou às oitavas de final como líder do Grupo 2, após enfrentar Cerro Porteño, Sporting Cristal e Universidad Católica. O cruzamento dos mata-matas colocou o Paysandu no caminho do Boca nas oitavas de final.

No dia 24 de abril de 2003, o Paysandu treinado por Dario Pereyra entrou em La Bombonera, lotada por 45 mil torcedores, para o jogo de ida das oitavas. Partida tensa, com uma expulsão para cada lado logo aos 20 minutos - Clemente Rodríguez e Robson se estranharam e levaram cartão vermelho.

Pressionado pelo Boca, o Paysandu apostou em alguns contra-ataques, mas ficou em situação mais adversa após outra expulsão, de Vanderson, que acertou uma cotovelada no rosto de Guillermo Barros Schelotto, aos 54 minutos.

Com nove em campo, o Papão parecia rendido, mas se aproveitou de uma bola recuperada para calar a Bombonera. Aos 67, Iarley recebeu na entrada da área, cortou a marcação e chutou no contrapé do goleiro Pato Abbondanzieri: 1-0, placar final.

Até então, apenas duas equipes brasileiras haviam vencido o Boca fora de casa pela Libertadores: o Santos, com Pelé e companhia, em 1963, e o Cruzeiro, em 1994, que contava com Ronaldo Fenômeno no ataque.

Em 60 anos de Copa, o Boca sofreu apenas cinco derrotas para times brasileiros em casa. Além de Santos, Cruzeiro e Paysandu, sucumbiu para Fluminense (2012) e Palmeiras (2018). 

A vitória épica na Argentina, no entanto, não foi suficiente para manter o Papão na Copa. Na volta, diante de 40 mil pessoas no Mangueirão, deu Boca por 4 a 2. Os argentinos se tornariam campeões daquela edição da Libertadores, superando o Santos na final.

FICHA TÉCNICA
Boca Juniors 0-1 Paysandu


Data: 24/4/2003
Local: La Bombonera, Buenos Aires (Argentina)
Libertadores: Oitavas de final, ida
Árbitro: Carlos Amarilla (Paraguai)

Boca Juniors: Pato Abbondanzieri, Hugo Ibarra (José Maria Calvo), Nicolás Burdisso, Clemente Rodríguez, Diego Crosa, Sebastián Battaglia (Alfredo Moreno), Diego Cagna (Carlos Tevez), Matías Donnet, Alfredo Cascini, Marcelo Delgado, Guillermo Barros Schelotto. Técnico: Carlos Bianchi.

Paysandu: Ronaldo, Luís Fernando, Jorginho, Tinho, Vanderson, Rodrigo (Gino), Lecheva (Bruno Fogaça), Vélber (Rogerinho), Sandro Goiano, Iarley, Robson. Técnico: Dario Pereyra.

Gol: Iarley (67').

Fechar