Cabuloso! Cruzeiro supera pressão do Huracán e vence na Argentina em estreia na Copa CONMEBOL Libertadores

Raposa marcou com Rodriguinho no primeiro tempo e se fechou na defesa para sair com os três pontos. Próximo duelo será no Mineirão, contra o Deportivo Lara

O Cruzeiro foi cirúrgico quando atacou e suportou a pressão adversária nos minutos finais para estrear com vitória na Copa CONMEBOL Libertadores. Na noite desta quinta-feira (7), no Estádio Tomás Adolfo Ducó, em Buenos Aires, a Raposa venceu o Huracán por 1 a 0, com gol do meia Rodriguinho na primeira etapa. O jogo foi válido pelo Grupo B - confira detalhes e números do duelo

Na próxima rodada da fase de grupos, o Cruzeiro reencontra a torcida contra o Deportivo Lara, em 13 de março, às 19h15 (de Brasília), no Mineirão. Já o Huracán visita o Emelec, no dia 14, às 23h (de Brasília), no Estádio Banco del Pacífico, em Guayaquil, no Equador.

O mau tempo em Buenos Aires encharcou o gramado e deixou a partida truncada no primeiro tempo, fresultando em 14 faltas e três cartões amarelos mostrados pelo árbitro peruano Diego Haro. Mais recuado, o Cruzeiro apostou em marcação forte no meio de campo para contra-atacar.

O time mineiro chutou a gol apenas duas vezes, só que aos 30 minutos abriu o placar com Rodriguinho, que recebeu lançamento de Robinho na área e chutou cruzado na saída de Antony Silva.

Com mais posse de bola (53%) e precisão na troca de passes (77%), o Huracán arriscou oito finalizações, mas apenas uma foi na direção do gol de Fábio, que teve pouco trabalho com o time da casa na etapa inicial.

Os argentinos voltaram para o segundo tempo com mais intensidade, explorando o lado esquerdo da defesa do Cruzeiro, nas costas do lateral Egídio, na tentativa de municiar o atacante Lucas Barrios dentro da área. 

A pressão do Huracán aumentou nos 20 minutos finais. Aos 71, Carlos Auzqui entrou livre na área e driblou Fábio, mas Murillo salvou o Cruzeiro em cima da linha. Na sequência, após cobrança de escanteio, Andrés Chávez pegou a sobra, mas o chute foi bloqueado. O Cruzeiro, então, passou a atuar com três zagueiros depois que Fabricio Bruno substituiu Rodriguinho na partida.

Nem o acionamento involuntário da irrigação do Estádio Tomás Adolfo Ducó com a bola rolando esfriou a reação do Huracán, que manteve o domínio das ações, mas não o converteu em gols.

Nos acréscimos, Chávez chegou a balançar a rede mineira, mas o lance foi anulado por impedimento. O Huracán ainda criou mais dois ataques, que pararam nas mãos do goleiro Fábio para garantir a vitória fora de casa.

Fechar