Flamengo volta à semifinal da CONMEBOL Libertadores após 35 anos, mas é como se fosse a primeira vez

Sob o comando de Jorge Jesus, rubro-negros superam traumas e voltam a figurar na elite sul-americana

Calma, não é uma comédia romântica. Não tem ninguém perdendo a memória. Pelo contrário, ela está viva. Feliz e orgulhosa, relembra o árduo caminho trilhado desde o início do processo de reconstrução que os rubro-negros se orgulham.

O Flamengo, dentro do campo, está de volta à elite sul-americana, afinal figura entre os quatro do continente. Em uma eliminatória com todo o drama que a CONMEBOL Libertadores inspira, os comandados de Jorge Jesus despacharam o Internacional e agora enfrentarão o Grêmio por uma vaga na final de Santiago.

O Flamengo venceu os seus próprios traumas. De recentes eliminações, de decepções que são naturais em um processo de crescimento. Venceu o adversário, o psicológico e saiu mais forte do que nunca.

Um time que encanta a Nação, que partida a partida ganha a cara de seu experiente treinador, que terá pouco mais de um mês para se preparar para duas batalhas contra Renato Gaúcho, o único brasileiro a vencer a Copa como jogador e treinador e entre os melhores pelo terceiro ano consecutivo.

É um passo importante para o Flamengo. A primeira semifinal de sua história no atual formato da Copa, o mais alto estágio na competição desde 1984, quando alcançou a semifinal (na época contra o Grêmio e Universidad de Los Andes em triangular), a dois jogos do passo final para a Glória Eterna em 23 de novembro.

Não é, mas tem cara e gosto de novidade. Como se fosse a primeira vez.

Fechar