Bruno Henrique e Gabigol comandam goleada sobre o Grêmio, e Flamengo vai à final da CONMEBOL Libertadores após 38 anos

Em noite histórica no Maracanã, Fla aplica 5 a 0 e vai encarar o River Plate na decisão, no fim de novembro

Everton Ribeiro, De Arrascaeta, Filipe Luis, Rafinha... O que não falta no Flamengo são jogadores que possam fazer a diferença. Mas dois deles, em especial, resumem a epifania rubro-negra que invadiu o Maracana na noite desta quarta-feira (23). Bruno Henrique e Gabigol, os homens que enlouqueceram a Nação e finalizaram a espera do time carioca para voltar a uma final de CONMEBOL Libertadores.

Novo artilheiro do torneio, com sete gols, Gabriel Barbosa marcou duas vezes. Bruno Henrique abriu o placar, no fim do primeiro tempo. Pablo Marí e Rodrigo Caio fecharam a conta. A goleada por 5 a 0 sobre o imortal Grêmio no Rio (6 a 1 no placar agregado) recolocou o Fla em uma final de Libertadores após 38 anos. Desde 1981, quando conquistou a América pela primeira e única vez.

Na sua segunda decisão de Copa da história, o Flamengo enfrentará o River Plate, atual campeão, no dia 23 de novembro, no Estádio Nacional do Chile, em Santiago.

Final Flamengo River Plate

Do mosaico que pintou o Maracanã de rubro-negro até o apito final do árbitro argentino Patricio Loustau, o Maracanã viveu uma noite com aura especial. O empate por 1 a 1 no jogo de ida dava certa vantagem ao Fla, que se classificaria com um 0 a 0, mas um gol gremista poderia colocar tudo a perder.

Na semifinal da Libertadores pelo terceiro ano seguido, o Grêmio de Renato Gaúcho aplicou marcação forte e criou a melhor chance de gol do primeiro tempo, em bola rebatida que Maicon chutou em cima do goleiro Diego Alves.

O Flamengo demonstrava até alguma impaciência com a falta de espaços para atacar, mas aos 41 minutos encontrou o que queria. Bruno Henrique puxou o contra-ataque e correu à área para completar o rebote de Paulo Victor, em chute de Gabigol, para fazer 1 a 0.

No segundo tempo, a tal superiodade do Flamengo no futebol brasileiro apareceu. Foi um atropelamento rubro-negro, que nem os imortais conseguiram resistir. Gabigol, de dentro da área e cobrando pênalti, ampliou. Até bater 70 minutos no cronômetro, mais dois gols de zagueiros, Pablo Marí e Rodrigo Caio.

Um show único de um Flamengo de futebol encantador, e que embalou uma festa que durará, pelo menos, até a grande final diante do River.

Fechar