Flamengo de 2019 quer repetir 1981: a história que une e emociona diferentes gerações na Libertadores

Após 38 anos, clube conseguiu voltar a uma decisão de Copa e agora quer o título contra o River Plate para festejar o bicampeonato da América e tentar nova façanha no Mundial de Clubes

O Flamengo voltou a uma final de CONMEBOL Libertadores após 38 anos e agora quer conquistá-la, com a missão de seguir ao Mundial de Clubes e repetir os feitos da geração de Zico, o maior ídolo do clube. A campanha de 2019 embala rubro-negros de diferentes idades. Os mais velhos querem voltar a sentir o gosto de conquistar a América e o mundo com saudosimo, enquanto que a euforia toma conta dos mais jovens, que nunca viram o Fla nem mesmo jogar uma decisão de Copa.

"Eu tinha 13 anos em 1981, era um time fantástico de Zico, Adílio e Andrade. Um timaço. Hoje vemos um Flamengo forte de novo", afirmou o torcedor mais velho, na quarta, numa noite especial no Maracanã. "Você nao tem nocção do que é o sonho pra mim de ver o Flamengo numa final de LIbertadores. Eu amo o Flamengo", se entusiasmou o mais novo. Até uma música que exalta a façanha dos anos 80 foi criada para embalar os jogadores.

Flamengo Grêmio Libertadores 23 10 2019

É assim que o clube chega para encarar o atual campeão River Plate, que não só teve esse gosto tão esperado no ano passado, quando bateu o maior rival, Boca Juniors, na final, como conquistou também a Libertadores em 2015. Todas as quatro Copas dos argentinos vieram depois de 1981: 86, 96, 15 e 18.

"É lógico que a história foi escrita (com a goleada sobre o Grêmio e classificação), mas queremos mais", afirmou Gabriel Barbosa, o artilheiro da competição, com sete gols.

"Está tudo muito bonito, mas precisa concluir. Não podemos morrer na praia", disse o lateral-esquerdo Filipe Luís.

Assista ao filme especial da classificação do Flamengo, com imagens exclusivas da equipe de conteúdo da @LibertadoresBR. E emocione-se!

Fechar