'Ele nos deu tudo!' O amor da torcida do River Plate por Gallardo numa noite de clássico de Libertadores

Campeão da Copa como jogador e treinador, Muñeco também pode ser o responsável por uma virada histórica na rivalidade contra o Boca na competição

"É nosso ídolo como jogador, como técnico. Imagine que estamos fazendo uma estátua dele! Ele nos levou à glória, à Glória Eterna!", conta o torcedor do River Plate na arquibancada do Monumental de Núñez antes de mais um duelo decisivo do clube contra o Boca Juniors, o maior rival.

Ele fala, claro, de Marcelo Gallardo. O meia campeão da CONMEBOL Libertadores em 1996 tornou-se treinador campeão em 2015. Mas há muito mais do que isso. Muñeco, como é carinhosamente chamado, estava no banco de reservas nos dois triunfos que igualaram o retrospecto em mata-matas entre os rivais pela Copa.

Foi além: triunfou na primeira e única final de Libertadores entre River e Boca, em 2018. A vitória fez com que cada clube ficasse com dois trunfos nas séries eliminatórias já disputadas no torneio. O placar de 2 a 0 na ida da semi de 2019 pode fazer com que Gallardo consiga, definitivamente, a virada sobre o maior rival.

Se de 2004 até o começo de 2015 o Boca Juniors se gabava de ter eliminado o River duas vezes na Libertadores, a partir de Marcelo Gallardo a história mudou. E pode seguir mudando no dia 22 de outubro, quando eles vão se reencontrar na Bombonera. Gallardo persegue o tricampeonato como treinador, o tetra de sua história. E o penta do River Plate, que ficará a apenas uma conquista do Boca caso seja campeão mais uma vez, em Santiago, no Chile.

Gallardo já é o treinador com mais partidas vencidas em Superclássicos por torneios CONMEBOL: três! Bateu o ídolo xeneize Carlos Bianchi. Não à toa uma estátua está sendo feita para o ídolo, no Monumental.

Fechar