É tetra! De virada, River vence Boca na prorrogação e é campeão pela 4ª vez

Com um jogador a mais, Millonarios sobram no tempo extra e saem do Santiago Bernabéu com o troféu da Libertadores graças a gols de Quintero e Martínez

Uma final histórica no Santiago Bernabéu consagrou o River Plate como o campeão da Copa CONMEBOL Libertadores pela quarta vez. No maior clássico da história da América do Sul, a equipe treinada por Marcelo Gallardo venceu o Boca Juniors por 3 a 1, de virada e na prorrogação, em Madrid, e comemorou o tetra, repetindo os feitos de 1986, 1996 e 2015. 

Veja os lances e números da partida

Benedetto e Pratto anotaram os gols no tempo normal. Quintero, com um golaço na etapa final do tempo extra, virou para os Millonarios, que ratificaram a taça com Martínez. A conquista também classificou o River como o representante da CONMEBOL no Mundial de Clubes da Fifa, entre 12 e 22 de dezembro, nos Emirados Árabes Unidos.

A primeira final da Libertadores disputada na Europa também foi um sucesso de público. Foram mais de 62 mil espectadores no Santiago Bernabéu, com direito a presenças ilustres, como Lionel Messi, craque do Barcelona, Diego Simeone, técnico do Atlético de Madrid, Antoine Griezmann, campeão da Copa do Mundo com a seleção da França, e Gianni Infantino, presidente da Fifa.

O River apostou por pressionar o rival desde o campo de defesa e conseguiu mais posse de bola no primeiro tempo (67% contra 33%), mas encontrou dificuldades para finalizar a gol - foram apenas duas tentativas, nenhuma no alvo. Na melhor oportunidade que surgiu, aos 43 minutos, quando o goleiro Andrada falhou ao tentar sair jogando, os Millonarios desperdiçaram e foram punidos com um contra-ataque letal. Nández deu o passe em profundidade para Benedetto, que deixou Maidana no chão e tocou na saída de Armani para abrir o placar para o Boca em Madrid.

BENEDETTO MONTIEL RIVER BOCA COPA LIBERTADORES

Foi o quinto gol de Benedetto nos últimos quatro jogos da fase final da Libertadores. Ele havia marcado também no jogo de ida da final, no empate em 2 a 2 em La Bombonera, e balançou a rede por três vezes na semifinais, contra o Palmeiras.

Apesar do abatimento da torcida no Santiago Bernabéu, que ficou mais calada após o gol adversário, o River Plate manteve o domínio na posse de bola no segundo tempo e foi recompensado com o empate. Aos 22 minutos, Fernandez tabelou com Palacios e achou Lucas Pratto sozinho na área. O goleador apenas teve o trabalho de colocar a bola na rede.

AFP Lucas Pratto River Boca final Copa Libertadores 2018

O clássico ficou mais parelho com o 1 a 1, e quem ficou mais próximo de ampliar foi o Boca. Aos 34 minutos, após o árbitro uruguaio Andrés Cunha assinalar uma jogada perigosa na área do River, Olaza cobrou a falta em cima da barreira adversária. A decisão da Libertadores iria para a prorrogação.

Logo no primeiro minuto do tempo extra, o Boca perdeu Wilmar Barrios, expulso, após falta em Palacios. Com um jogador a mais, o River tentou chegar ao empate com chutes de fora da área, mas sem sucesso. Em uma troca de passes, porém, Quintero arriscou de longe e contou com a ajuda do travessão para virar, aos 4 minutos da segunda etapa.

Juan Fernando Quintero River Plate Boca Juniors Copa Libertadores 09122018

O Boca partiu para o desespero e ainda acertou a trave com Jara. Até o goleiro Andrada foi para a área para tentar o empate. Com a meta adversária vazia, o River ainda puxou um contra-ataque nos acréscimos e ampliou com Piti Martínez para assegurar o tetra da Libertadores .

Fechar