Defensor leva susto em casa, mas elimina Bolívar e vai à Fase 2 da Copa CONMEBOL Libertadores

Equipe uruguaia perdeu por 3 a 2 e ficou a um gol da eliminação. Próximo adversário será o Barcelona de Guayaquil, e vencedor poderá cruzar com o Atlético-MG na terceira fase preliminar

O Defensor tomou três gols em dez minutos e passou sufuco diante de seus torcedores, mas se classificou à segunda fase da Copa CONMEBOL Libertadores mesmo com derrota por 3 a 2 para o Bolívar, na noite desta quarta-feira (30), no Estádio Luis Franzini, em Montevidéu - confira detalhes e números da partida. Os uruguaios haviam vencido o jogo de ida, em La Paz, por 4 a 2, mas ficaram a apenas um gol da eliminação em casa.

O adversário na Fase 2 da Copa será o Barcelona de Guayaquil, com jogo de ida marcado para 6 de fevereiro, no Uruguai, e volta no dia 12 do mesmo mês, no Equador.

Quem vencer o confronto enfrentará Atlético-MG ou Danubio por uma vaga no Grupo E, o mesmo de Cerro Porteño, Nacional-URU e Zamora.

Apoiado na vantagem obtida na partida de ida, o Defensor parecia disposto a não correr riscos em casa e abriu o placar logo aos dois minutos, em troca de passes que chegou até Rabuñal, que chutou de fora da área. A bola ainda desviou no zagueiro Jusino antes de entrar.

O gol, ao invés de dar tranquilidade, gerou um apagão no time uruguaio. O Bolívar teve controle da posse de bola no primeiro tempo (65% a 35%) e criou os lances ofensivos mais perigosos. Em dez minutos antes do intervalo, marcou três gols e deixou a disputa pela vaga aberta em Montevidéu.

Aos 33 minutos, Luis Gutiérrez escorou uma cobrança de escanteio na primeira trave e Jusino, também de cabeça, empatou. A virada dos bolivianos saiu com o atacante Arce, aproveitando rebote do goleiro Gaston Rodríguez. Aos 43, o meia brasileiro Thomaz Santos completou um cruzamento rasteiro para ampliar.

A vitória parcial por 3 a 1 deixava o Bolívar precisando de apenas um gol para se classificar à segunda fase preliminar da Libertadores. O Defensor colocou Laquintana e Gonzalo Nápoli em campo no segundo tempo, nas vagas de Cristóbal e Piquerez, mas seguiu recuado e esperando um contra-ataque para marcar mais um e tentar tranquilizar a situação.

O Bolívar se manteve no ataque, mas não com o mesmo ímpeto da etapa inicial. Mais exposto na defesa, quase levou um gol aos 67 minutos, em chute de Nápoli que acertou a trave, e ficou com um jogador a menos após a expulsão de Pereyra Díaz, aos 76. Dois minutos depois, Berg levou cartão vermelho e também deixou o Defensor com dez em campo.

Os visitantes seguiram no ataque em busca de uma classificação heroica, mas aos 46 minutos veio a frustração. Em contra-ataque, o Defensor precisou chutar quatro vezes no gol até Nápoli balançar a rede do Bolívar e carimbar a vaga.

Fechar