CONMEBOL Libertadores 1997: Cruzeiro repete feito da década de 1970 e se torna quarto brasileiro a ser bicampeão

Raposa supera Sporting Cristal no Mineirão e iguala feitos de Santos, São Paulo e Grêmio

O Cruzeiro chegou forte para a CONMEBOL Libertadores 1997. No ano anterior, havia vencido o Palmeiras na final da Copa do Brasil e, posteriormente, Levir Culpi deu lugar a Paulo Autuori como treinador.

O time mineiro tinha no Grêmio, campeão brasileiro, um adversário caseiro imponente na disputa pelo bicampeonato. Ambos estiveram no mesmo grupo ao lado dos peruanos Sporting Cristal e Alianza Lima.

Cruzeiro Libertadores 1997

O Tricolor gaúcho passou em primeiro, seguido pela Raposa, enquanto o Sporting Cristal avançou como um dos melhores terceiros colocados.

Nas oitavas de final, o Cruzeiro só conseguiu a classificação nos pênaltis. O El Nacional, do Equador, vendeu caro a vaga e ao passar, um novo duelo contra o Grêmio aconteceu, como previa o regulamento da competição na época, para evitar o cruzamento de times do mesmo país na final.

A vitória no Mineirão por 2 a 0 deu tranquilidade para o compromisso da volta, no Olímpico. A derrota por 2 a 1 no Sul não foi capaz de interromper o desejo pelo bicampeonato.

Na semifinal, outra vez a decisão foi para os pênaltis. Contra o Colo-Colo, a Raposa sofreu, mas avançou graças ao goleiro Dida. Na decisão, um velho conhecido: o Sporting Cristal.

O time peruano havia sido adversário na fase de grupos e agora estava novamente no caminho cruzeirense. Em Lima, empate sem gols. Na volta com quase cem mil pessoas no Mineirão, o gol do título saiu no final, com Elivélton.

O atacante havia ganho a vaga para a finalíssima em razão da expulsão de Cleisson na partida de ida. Com um chute de longa distância e colaboração do goleiro Balerío, garantiu o segundo título da Libertadores para o Cruzeiro. O seleto grupo de bicampeões brasileiros tinha mais um clube além de Santos, São Paulo e Grêmio.

NÚMEROS DO CAMPEÃO

14 jogos
7 vitórias
1 empate
6 derrotas
15 gols pró
12 gols contra
Artilheiro: Marcelo Ramos (5 gols)

FICHAS TÉCNICAS

Sporting Cristal 0-0 Cruzeiro

Data: 6/8/1997
Local: Estádio Nacional, Lima (Peru)
Libertadores: Final, ida
Árbitro: Bryan Moreno (Equador)

Sporting Cristal: Julio Cesar Balerío, Luís Marengo, Miguel Rebosio (Erick Torres), Marcelo Asteggiano, Martín Vásquez (Andrés Mendoza), Jorge Soto, Pedro Garay, Alfredo Carmona (Alex Magallanes), Nolberto Solano, Luis Alberto Bonnet, Julinho. Técnico: Sergio Markarían.

Cruzeiro: Dida; Vitor, Gérson Baresi, Wilson Gottardo, Nonato, Donizete Oliveira, Fabinho, Ricardinho, Palhinha (Tico), Cleisson, Marcelo Ramos (Da Silva). Técnico: Paulo Autuori.

Cruzeiro 1-0 Sporting Cristal

Data: 13/8/1997
Local: Mineirão, Belo Horizonte (Brasil)
Libertadores: Final, volta
Árbitro: Javier Castrilli (Argentina)

Cruzeiro: Dida, Vitor, Gérson Baresi, Wilson Gottardo, Nonato, Donizete Oliveira, Fabinho, Ricardinho (Da Silva), Palhinha, Elivélton, Marcelo Ramos. Técnico: Paulo Autuori.

Sporting Cristal: Julio Cesar Balerío, Jorge Soto, Luis Marengo, Marcelo Asteggiano, Erick Torres (Roger Serrano), Julio Rivera, Pedro Garay, Prince Amoako (Alfredo Carmona), Nolberto Solano, Luis Alberto Bonnet (Ismael Abrahamson), Julinho. Técnico: Sergio Markarían.

Gol: Elivélton (75’).

Fechar