Com talento 'nota 10', Flamengo faz seis no San José e fica perto da vaga na Copa Libertadores

Mengão contou com seu trio de meias para golear bolivianos por 6 a 1 diante da Nação e encaminhar passagem para as oitavas de final. Diego, Everton Ribeiro e De Arrascaeta brilharam

Um é pouco, dois é bom, três é demais. Não é, não! Meias talentosos não dão em árvore, então imagine ter três?!  O Flamengo tem e aí acaba seis. A noite de festa nesta quinta-feira no Maracanã pela Copa CONMEBOL Libertadores passou obrigatoriamente por eles. 

Do pé de cada um saíram quatro dos gols da goleada de 6 a 1 sobre o San José (BOL), resultado que deixou o Rubro-Negro na liderança do Grupo D e próximo das oitavas de final (clique para destalhes e estatísticas).

Ou melhor, não só do pé. Da cabeça também. Da cabeça de Diego. Capitão e camisa 10, conhece os atalhos do campo. Experiência. O toque que o tempo cuida de deixar melhor. Diego deixou o Maracanã mais leve com o gol de cabeça no início.

Mas nada seria possível sem Everton Ribeiro. Camisa 7, futebol de 10. Ele corre, ele passa, ele dribla, ele toca de novo e recebe e toca... Everton parece se multiplicar! Em seu primeiro  gol, o segundo do Flamengo, travou corrida com Bruno Henrique. Na tabelinha, recebeu do companheiro para desampatar quando o San José tinha assustado com Saucedo, em gol que deu um pouco de alegria aos bolivianos no Maracanã. 

Mas a noite era do Flamengo, era de seus meias. Falta um, não falta? De Arrascaeta. O uruguaio e sua arte. Na primeira, bateu frontal, parou em Lampe. Depois, deu chapéu, passes precisos, jogadas individuais. É compreensível a expectativa do torcedor com ele. Quer ver? Arrascaeta recebe de Everton Ribeiro, mata a bola com carinho e manda um balaço no canto. Golaço! Viva o uruguaio: 3 a 1 Flamengo. 

Parecia suficiente, pelo andar do segundo tempo, mas não está morto quem tem meias. Quem tem o talento de Everton Ribeiro. Jogada trabalhada terminou em sua conclusão. Seu terceiro gol na Copa, agora como artilheiro do Flamengo. Neste instante, o Maracanã já havia virado o maior salão de festas do mundo e os gols de Vitinho, de pênalti, e Gutiérrez, contra, foram apenas a cereja do bolo. Goleada!

Agora, o Flamengo e seus meias têm dois jogos fora de casa na Libertadores precisando apenas de um empate. Encara LDU (EQU) e Peñarol (URU), dois rivais de peso, tradição na Copa e que já provaram do gosto de ser campeão. Parada dura! Mas se o talento falar mais alto, a Nação agradece. Porque no Rubro-Negro está sobrando. Já o San José, com a derrota, está eliminado da Libertadores.

Fechar