CONMEBOL Libertadores 2003: Boca Juniors domina início dos anos 2000 e fatura terceiro título em quatro anos

Argentinos bateram o Santos de Robinho e Diego, no Morumbi, e fazem mais uma vítima brasileira na decisão

O Boca Juniors tomou conta da CONMEBOL Libertadores no começo dos anos 2000. Foram três títulos em quatro anos, e dois times brasileiros sofreram com a equipe treinada por Carlos Bianchi no período.

O primeiro a sentir o gosto amargo na final foi o Palmeiras, em 2000, no Morumbi. Em 2003, no mesmo estádio, o Santos foi a vítima do Boca, em nova festa argentina no Brasil. No meio do caminho, em 2001, os argentinos levantaram a Copa diante do Cruz Azul, do México.

O temido tetracampeão da América não começou tão bem na edição de 2003. Classificou-se em segundo lugar do grupo, atrás do Independiente Medellín, da Colômbia, e teve pela frente nas oitavas de final o Paysandu, sensação daquela Libertadores.

Surpreendido na Bombonera pelo time paraense, perdeu por 1 a 0, gol do atacante Iarley, que anos mais tarde vestiria a camisa xeneize. A eliminação parecia questão de tempo até que a competição começou definitivamente para o Boca no duelo de volta, em Belém.

A vitória por 4 a 2 diante do Papão mostrou para os adversários que o filme das últimas edições poderia se repetir. A partir de lá, foram quatro vitórias contra Cobreloa, nas quartas, e América de Cali, na semifinal.

O único rival capaz de parar a equipe de Bianchi era o Santos, atual campeão brasileiro e com Robinho e Diego no elenco. Para o Boca, a doce lembrança de fazer a finalíssima novamente no Morumbi, como acontecera três anos antes quando o Palmeiras foi o adversário.

Em Buenos Aires, vitória por 2 a 0 e boa vantagem para a volta. No Brasil, Tévez, Delgado e Schiavi marcaram, Alex descontou para o Peixe, e o Boca levantou pela quinta vez o troféu da Libertadores em nova volta olímpica no Morumbi.

NÚMEROS DO CAMPEÃO

14 jogos
10 vitórias
2 empates
2 derrotas
29 gols pró
13 gols contra
Artilheiro: Marcelo Delgado (9 gols)

FICHAS TÉCNICAS

Boca Juniors 2-0 Santos

Data: 25/6/2003
Local: La Bombonera, Buenos Aires (Argentina)
Libertadores: Final, ida
Árbitro: Óscar Ruiz (Colômbia)

Boca Juniors: Roberto Abbondanzieri, Hugo Ibarra, Rolando Schiavi, Nicolás Burdisso, Clemente Rodríguez, Sebastián Battaglia, Raúl Cascini, Diego Cagna (Franco Cángele), Carlos Tévez, Marcelo Delgado, Guillermo Barros Schelotto (Javier Villarreal). Técnico: Carlos Bianchi

Santos: Fábio Costa, Araújo, Pereira (André Luis), Alex, Léo, Paulo Almeida, Renato, Fabiano (Nenê), Diego, Robinho, Ricardo Oliveira. Técnico: Emerson Leão

Gols: Marcelo Delgado (32’, 83’)

Santos 1-3 Boca Juniors

Data: 2/7/2003
Local: Morumbi, São Paulo (Brasil)
Libertadores: Final, volta
Árbitro: Jorge Larrionda (Uruguai)

Santos: Fábio Costa, Wellington (Nenê), Alex, André Luis, Léo, Paulo Almeida, Renato, Fabiano, Diego, Robinho, Ricardo Oliveira (Douglas). Técnico: Emerson Leão.

Boca Juniors: Roberto Abbondanzieri, Hugo Ibarra, Rolando Schiavi, Nicolás Burdisso, Clemente Rodríguez, Sebastián Battaglia, Raúl Cascini, Javier Villarreal (Pablo Jerez), Diego Cagna (Miguel Caneo), Carlos Tévez, Marcelo Delgado (Franco Cángele). Técnico: Carlos Bianchi

Gols: Alex (30’); Carlos Tévez (21’), Marcelo Delgado (39’), Rolando Schiavi (49’).

Fechar