CONMEBOL Libertadores 2001: Boca Juniors vence Cruz Azul e chega ao bicampeonato com Carlos Bianchi

Apoiado por Riquelme e Schelotto, técnico conquistou a América pelo segundo ano consecutivo

Uma vez era pouco para Carlos Bianchi. No comando de uma das equipes mais vitoriosas da história do Boca Juniors, o treinador levou os argentinos à Glória Eterna pelo segundo ano consecutivo e conquistou o título da CONMEBOL Libertadores 2001 - a quarta Copa do clube.

Na campanha, o Boca somou 15 pontos em seis partidas (cinco vitórias e uma derrota) e avançou às oitavas de final como líder do Grupo H, que contava também com Cobreloa, Deportivo Cali e Oriente Petrolero.

Logo no início dos mata-matas, um sufoco: o Junior Barranquilla vendeu caro a vaga nas quartas de final, apesar de ter perdido a partida de ida, em casa, por 3 a 2. Na volta, os colombianos saíram na frente no primeiro minuto, com Henry Zambrano, mas Guillermo Barros Schelotto empatou, e o 1 a 1 na Bombonera classificou o Boca.

O adversário nas quartas foi o Vasco, que havia feito a melhor campanha da fase de grupos e estava invicto, mas os Xeneizes não se abalaram: vitórias por 1 a 0 no Rio e 3 a 0 em Buenos Aires.

A reprise da decisão da Libertadores 2000 definiu um dos finalistas do ano seguinte: Boca e Palmeiras se cruzaram mais uma vez e fizeram dois confrontos equilibrados, ambos empatados por 2 a 2. Nas penalidades, os argentinos avançaram.

O adversário na busca pelo título seria o Cruz Azul, primeiro time mexicano a chegar à final de um torneio CONMEBOL, que passou pelo San Lorenzo na semi. Uma vitória por 1 a 0 para cada lado, e a decisão foi para as penalidades.

Na marca da cal, os mexicanos decepcionaram e converteram apenas uma cobrança, com Palencia. Com o placar de 3 a 1, o Boca chegou ao bi da América com Bianchi.

NÚMEROS DO CAMPEÃO

14 jogos
9 vitórias
3 empates
2 derrotas
20 gols pró
13 gols contra
Artilheiros: Guillermo Barros Schelotto e Marcelo Delgado (5 gols)

FICHAS TÉCNICAS 

Cruz Azul 0-1 Boca Juniors

Data: 20/6/2001
Local: Azteca, Cidade do México (México)
Libertadores: Final, ida
Árbitro: Márcio Rezende de Freitas (Brasil) 

Cruz Azul: Óscar Pérez, Norberto Angeles (Tomás Campos), Sergio Almaguer, Melvin Brown, José Hernández, Pablo Galdames, Victor Gutiérrez (Héctor Adomaitis), Julio César Pinheiro, Ángel Morales, José Cardozo, Juan Francisco Palencia. Técnico: José Luis Trejo.

Boca Juniors: Óscar Córdoba, Hugo Ibarra, Jorge Bermúdez, Nicolás Burdisso, Clemente Rodríguez (Gustavo Pinto), Javier Villarreal (José Pereda), Sebastián Battaglia, Cristian Traverso, Juan Román Riquelme, Walter Gaitán, Christian Giménez (Marcelo Delgado). Técnico: Carlos Bianchi.

Gol: Marcelo Delgado (85')

Boca Juniors 0-1 Cruz Azul

Data: 28/6/2001
Local: La Bombonera, Buenos Aires (Argentina)
Libertadores: Final, volta
Árbitro: Gilberto Hidalgo (Peru)

Boca Juniors: Óscar Córdoba, Hugo Ibarra, Jorge Bermúdez, Anibal Matellán, Clemente Rodríguez (Christian Giménez), Javier Villarreal, Mauricio Serna, Cristian Traverso, Juan Román Riquelme, Walter Gaitán, Marcelo Delgado. Técnico: Carlos Bianchi.

Cruz Azul: Óscar Pérez, Norberto Angeles, Sergio Almaguer, Melvin Brown, José Hernández, Pablo Galdames, Victor Gutiérrez, Julio César Pinheiro, Tomás Campos (Emilio Mora), José Cardozo, Juan Francisco Palencia. Técnico: José Luis Trejo.

Gol: Juan Francisco Palencia (42')

Nos pênaltis (3-1) - Pelo Boca Juniors: Juan Román Riquelme, Mauricio Serna, Marcelo Delgado, Jorge Bermúdez (errou). Pelo Cruz Azul: Juan Francisco Palencia, Pablo Galdames (errou), José Hernández (errou), Julio César Pinheiro (errou).

Fechar