CONMEBOL Libertadores 1977: Boca Juniors é campeão na primeira final decidida por pênaltis

Argentinos superaram o Cruzeiro, atual campeão, nas penalidades e após três partidas

A primeira CONMEBOL Libertadores decidida nos pênaltis teve o Boca Juniors como campeão, em 1977. Foi também a primeira conquista do clube argentino no torneio.

Em uma Fase de Grupos praticamente impecável, o Boca avançou em primeiro lugar deixando para trás o rival River Plate, além dos uruguaios Peñarol e Defensor. Foram quatro vitórias e dois empates.

Boca Juniors Libertadores 1977

A campanha sólida fez com que o time entrasse como favorito na chave semifinal com Deportivo Cali, da Colômbia, e Libertad, do Paraguai. O favoritismo se confirmou com duas vitórias, dois empates e vaga na final de maneira invicta.

O rival pela frente era outro azul. O Cruzeiro, então campeão, foi jogar a primeira partida em Buenos Aires e viu a força argentina ao perder por 1 a 0, com gol de Carlos Veglio logo aos quatro minutos.

O Boca segurava o empate sem gols e o título até o fim do jogo no Mineirão, porém Nelinho, em bela cobrança de falta, impôs a única derrota do time argentino na Copa.

Com uma vitória para cada lado, o jogo extra aconteceu em Montevidéu. A igualdade sem gols levou a decisão para os pênaltis, e pela primeira vez o campeão foi conhecido na marca da cal. Melhor para o Boca Juniors, que venceu por 5 a 4 nas cobranças e faturou o título inédito.

NÚMEROS DO CAMPEÃO

13 jogos
7 vitórias
5 empates
1 derrota
10 gols pró
3 gols contra
Artilheiro: Roberto Mouzo (3 gols)

FICHAS TÉCNICAS

Boca Juniors 1-0 Cruzeiro

Data: 6/9/1977
Local: La Bombonera, Buenos Aires (Argentina)
Libertadores: Final, ida
Árbitro: Roque Cerullo (Peru)

Boca Juniors: Hugo Gatti, Vicente Pernía, Roberto Mouzo, Francisco Sá (José Luis Tesare), Alberto Tarantini, Mário Zanabria, Rubén Suñé, Daniel Pavón (Héctor Bernabitti), Ernesto Mastrángelo, Carlos Veglio, Darío Felman. Técnico: Carlos Lorenzo.

Cruzeiro: Raúl Plasmann, Nelinho, Morais, Darci Menezes, Vanderlei, Eduardo Amorim, Zé Carlos, Eli Mendes, Neca, Joãozinho, Eli Carlos. Técnico: Dorival Yustrich.

Gol: Carlos Veglio (4’).

Cruzeiro 1-0 Boca Juniors

Data: 11/9/1977
Local: Mineirão, Belo Horizonte (Brasil)
Libertadores: Final, volta
Árbitro: César Orozco (Peru)

Cruzeiro: Raúl Plasmann, Nelinho, Morais, Darci Menezes, Vanderlei, Eduardo Amorim, Zé Carlos, Eli Mendes, Neca, Joãozinho, Eli Carlos (Lívio). Técnico: Dorival Yustrich.

Boca Juniors: Hugo Gatti; Vicente Pernía, José Tesare, Roberto Mouzo, Alberto Tarantini, Jorge Ribolzi, Mario Zanabria, Rubén Suñé, Ernesto Mastrángelo, Carlos Veglio, Darío Felman (Carlos Enrique Ortiz). Técnico: Carlos Lorenzo.

Gol: Nelinho (77’).

Boca Juniors 0 (5)-(4) 0 Cruzeiro

Data: 14/9/1977
Local: Centenário, Montevidéu (Uruguai)
Libertadores: Final, jogo desempate
Árbitro: Vicente Llobregat (Venezuela)

Boca Juniors: Hugo Gatti, Vicente Pernía, José Tesare, Roberto Mouzo, Alberto Tarantini, Rubén Suñé, Jorge José Benítez (Jorge Ribolzi) (Daniel Pavón), Mario Zanabria, Ernesto Mastrángelo, Carlos Veglio, Darío Felman. Técnico: Carlos Lorenzo.

Cruzeiro: Raúl Plasmann, Nelinho (Mariano), Morais, Darci Menezes, Vanderlei, Eduardo Amorim, Zé Carlos, Eli Carlos (Lívio); Eli Mendes, Neca, Joãozinho. Técnico: Dorival Yustrich.

Fechar