CONMEBOL Libertadores 1989: Atlético Nacional vence Olimpia nos pênaltis e dá primeira Copa à Colômbia

René Higuita defendeu quatro cobranças na decisão e liderou time de Medellín à conquista inédita

A Colômbia esperou quase três décadas para ver um time do país chegar à Glória Eterna pela primeira vez. A honra coube ao Atlético Nacional, vencedor da CONMEBOL Libertadores 1989.

A equipe treinada por Francisco Maturana, que se tornaria técnico da seleção colombiana após a conquista da Copa, marcou época por ser formada majoritariamente por jogadores locais e revelar uma geração talentosa do gol, com René Higuita, até o ataque, com nomes como Albeiro Usuriaga e John Jairo Tréllez.

O Atlético Nacional integrou o Grupo 3 da Fase 1 da Libertadores, com Millonarios, Deportivo Quito e Emelec, e se classificou como vice-líder - sete pontos em seis jogos.

Nos mata-matas, os colombianos passaram pelo Racing nas oitavas de final e fizeram clássico com o Millonarios por uma vaga na semi, eliminando o rival com vitória em casa (1 a 0) e empate fora (1 a 1).

O Danubio foi o adversário verdolaga por um lugar na final. O Atlético empatou sem gols no Uruguai e goleou por 6 a 0 na volta. O Olimpia, que bateu o Internacional, seria o adversário na decisão continental.

No jogo de ida, em Assunção, deu Olimpia por 2 a 0, com destaque para o gol que fechou o placar, de Raúl Amarilla, em belo chute de fora da área que surpreendeu Higuita.

Em Bogotá, já que não poderia levar a partida de volta para Medellín, o Atlético Nacional devolveu os 2 a 0 e forçou a decisão do título nas penalidades.

Brilhou, então, a estrela de Higuita, que defendeu quatro cobranças do Olimpia. Leonel Álvarez converteu o penal decisivo, dando a primeira Libertadores ao Atlético Nacional, que conquistaria o bi em 2016.     

NÚMEROS DO CAMPEÃO

14 jogos
7 vitórias
5 empates
2 derrotas
22 gols pró
11 gols contra
Artilheiro: Albeiro Usuriaga (7 gols)

FICHAS TÉCNICAS 

Olimpia 2-0 Atlético Nacional

Data: 24/5/1989
Local: Defensores del Chaco, Assunção (Paraguai)
Libertadores: Final, ida
Árbitro: José Roberto Wright (Brasil)

Olimpia: Ever Hugo Almeida, Fidel Miño, Gustavo Benítez, Hérib Chamas, Roberto Krausemann, Vidal Sanabria (Fermín Balbuena), Jorge Guasch, Gustavo Neffa, Rafael Bobadilla, Raúl Vicente Amarilla, Alfredo Mendoza (Gabriel González). Técnico: Luis Cubilla.

Atlético Nacional: René Higuita, Gildardo Gómez, Luis Carlos Perea, Andrés Escobar, León Fernando Villa (Jhon Carmona), Felipe Pérez, Leonel Álvarez, Luis Fajardo, Alexis García, Albeiro Usuriaga, Jaime Arango (Niver Arboleda). Técnico: Francisco Maturana.

Gols: Rafael Bobadilla (36'), Vidal Sanabria (60').

Atlético Nacional 2 (5)-(4) 0 Olimpia

Data: 31/5/1989
Local: El Campín, Bogotá (Colômbia)
Libertadores: Final, volta
Árbitro: Juan Carlos Loustau (Argentina)

Atlético Nacional: René Higuita, Jhon Carmona, Luis Carlos Perea, Andrés Escobar, Gildardo Gómez, Leonel Álvarez, Alexis García, Luis Fajardo (Niver Arboleda), Jaime Arango (Felipe Pérez), Albeiro Usuriaga, John Jairo Tréllez. Técnico: Francisco Maturana.

Olimpia: Ever Hugo Almeida, Fidel Miño, Gustavo Benítez, Hérib Chamas, Roberto Krausemann, Vidal Sanabria, Jorge Guasch, Gustavo Neffa (Gabriel González), Rafael Bobadilla (Fermín Balbuena), Raúl Vicente Amarilla, Alfredo Mendoza. Técnico: Luis Cubilla.

Gols: Fidel Miño (46' contra), Albeiro Usuriaga (65').

Fechar