CONMEBOL Libertadores 2013: Fé da torcida fortalece Atlético-MG em conquista inédita da Copa

Em campanha cheia de emoções, Galo vai no embalo de "Eu Acredito!" e supera Olimpia nos pênaltis para chegar à Glória Eterna

O futebol brasileiro vinha de três títulos seguidos na CONMEBOL Libertadores . Internacional (2010), Santos (2011) e Corinthians (2012) haviam igualado o feito do fim dos anos 1990 com a série Cruzeiro (1997), Vasco (1998) e Palmeiras (1999).

Na edição de 2013, manter a supremacia do Brasil no continente era a missão de Atlético Mineiro, Fluminense, Corinthians, Grêmio , São Paulo ou Palmeiras. Os quatro últimos, porém, caíram nas oitavas, o Flu nas quartas e o Galo, único representante nacional, foi o responsável pela maior sequência de títulos seguidos do país na Copa.

A Fase de Grupos foi quase perfeita. Com cinco vitórias consecutivas, com direito a com duas goleadas por 5 a 2 sobre o Arsenal de Sarandí, o time treinado por Cuca só perdeu pontos para o São Paulo, na derrota por 2 a 0, no Morumbi, quando já estava classificado.

Curiosamente, a posição das equipes de acordo com a campanha colocou o Tricolor novamente no caminho dos mineiros, mas desta vez a história foi diferente. Com duas vitórias, incluindo um 4 a 1 no Independência, o Galo de Ronaldinho Gaúcho e companhia despachou o tricampeão.

Nas quartas foi a vez de pegar o Tijuana. Empate por 2 a 2 no México, em campo com grama artificial, e a igualdade por 1 a 1 em Minas Gerais encaminhava a vaga, quando o time mexicano teve um pênalti a seu favor nos acréscimos da etapa final.

A partir daquele momento, o torcedor atleticano viu que tudo era possível quando Victor pegou a cobrança de Riascos com o pé esquerdo e assegurou uma das classificações mais emocionantes da Libertadores.

O Newell’s Old Boys ganhou por 2 a 0 a semifinal na Argentina e a volta no Independência o torcedor cantou em uníssono: “Eu acredito!”. O grito, nascido dois anos antes para ajudar o clube contra o rebaixamento no Brasileirão, virou o mantra para a conquista da América.

Em campo, o Atlético devolveu o placar da ida e Victor, novamente, apareceu para sacramentar a classificação. O último rival era o Olimpia, dono de três títulos. Os paraguaios fizeram 2 a 0 no Defensores del Chaco e a missão da massa atleticana era ajudar para uma nova reviravolta.

Quase 60 mil vozes voltaram a repetir incansavelmente o “Eu acredito!” no Mineirão. Jô, artilheiro da edição, e Leonardo Silva marcaram e a decisão, assim como na fase anterior, foi para as penalidades.

Após tanto sofrimento, nada seria capaz de tirar o troféu do Atlético e assim aconteceu. Triunfo por 4 a 3 nos pênaltis e o “Eu Acredito!” entra para a história, assim como aqueles heróis da América.

NÚMEROS DO CAMPEÃO

14 jogos
9 vitórias
2 empates
3 derrotas
29 gols pró
18 gols contra
Artilheiro: Jô (7 gols)

FICHAS TÉCNICAS

Olimpia 2-0 Atlético Mineiro

Data: 17/7/2013
Local: Defensores del Chaco, Assunção (Paraguai)
Libertadores: Final, ida
Árbitro: Néstor Pitana (Argentina)

Olimpia: Martín Silva, Herminio Miranda, Julio Manzur, Salustiano Candia, Nelson Benítez, Wilson Pittoni, Eduardo Aranda, Alejandro Silva, Matías Giménez (Juan Carlos Ferreyra), Juan Manuel Salgueiro (Carlos Paredes), Fredy Bareiro (Enzo Prono). Técnico: Ever Hugo Almeida.

Atlético Mineiro: Victor, Marcos Rocha, Réver, Leonardo Silva, Richarlyson, Pierre, Josué, Diego Tardelli, Ronaldinho Gaúcho (Guilherme), Luan (Rosinei), Jô (Alecsandro). Técnico: Cuca.

Gols: Alejandro Silva (23’), Wilson Pittoni (92').

Atlético Mineiro 2 (4)-(3) 0 Olimpia

Data: 24/7/2013
Local: Mineirão, Belo Horizonte (Brasil)
Libertadores: Final, volta
Árbitro: Wilmar Roldán (Colômbia)

Atlético Mineiro: Victor, Michel (Alecsandro), Réver, Leonardo Silva, Junior César, Pierre (Rosinei), Josué, Diego Tardelli (Guilherme), Ronaldinho Gaúcho, Bernard, Jô. Técnico: Cuca.

Olimpia: Martín Silva, Ricardo Mazacotte, Herminio Miranda, Julio Manzur, Salustiano Candia, Nelson Benítez, Wilson Pittoni, Eduardo Aranda, Alejandro Silva (Matías Giménez), Juan Manuel Salgueiro (Jorge Báez), Fredy Bareiro (Juan Carlos Ferreyra). Técnico: Ever Hugo Almeida.

Gols: Jô (46’), Leonardo Silva (87’).

Atlético-MG campeão Libertadores 2013

Fechar