As paixões de Marcelo Lomba, o guardião do Internacional na busca do tri da Copa Libertadores

Goleiro largou como melhor em campo na vitória do Inter sobre o Palestino no Chile. Contra o Alianza, nesta noite, segue em busca de conquistar a Copa que representa mais do que futebol

Por Marcio Porto

Marcelo Lomba é fã de Taffarel. Para um goleiro do Internacional soa como clichê, algo para fazer média com a torcida. Mas Lomba diz isso publicamente desde os tempos em que nem sonhava em vestir a camisa do Colorado, é só recuperar reportagens dos tempos de Flamengo. A admiração pelo ex-goleiro, ídolo do Inter e da Seleção Brasileira tem data. Tinha sete anos quando Taffarel brilhou nos Estados Unidos em 1994 na conquista do tetracampeonato mundial. "Eu lembro perfeitamente do 'sai que é tua, Taffarel!', das cores do uniforme dele.  O pessoal reunido na minha casa, a decisão foi para os pênaltis, e ele foi protagonista contra a Itália. Você lembra e quer ser igual a ele".

A admiração por um gaúcho que havia jogado em clubes distantes da realidade do menino carioca Marcelo Lomba é possível pela paixão. A paixão pelo futebol, representada em sua excelência pela Copa CONMEBOL Libertadores, na qual o goleiro entra em campo para defender o Internacional na noite desta quarta-feira contra o Alianza Lima (PER) no Beira-Rio. A Libertadores é paixão para qualquer torcedor e para Lomba vai além das quatro linhas. Evoca aquela que ganhou seu coração apaixonado: a esposa Paula. 

Lomba estreou na Copa em 2010 pelo Flamengo em uma situação atípica. Não era para ser. Só foi porque, de última hora, o titular Bruno machucou e o reserva Lomba precisou ser escalado contra a Universidad Católica (CHI). Medo, tensão, frio na barriga. Para amenizar a ansiedade, desligou até o telefone para não ter de ficar atendendo os parentes. Antes, porém, ligou para duas pessoas. "Ainda hoje (segunda-feira), estava falando com minha esposa que aquele foi o primeiro jogo que ela me viu no estádio. Quando soube, liguei para ela, ainda tímido: 'Ó, vou jogar, só vou avisar você e minha mãe'. E aí foi a correria para pegar os ingressos. A gente estava começando o namoro, foi no Maracanã lotado, com muita tensão. Por isso a Libertadores tem esse gosto especial para mim. Agora estou voltando a viver essa memória, onde tudo começou", relembra o goleiro do Inter. 

A noite foi mesmo especial. O Flamengo venceu por 2 a 0 e Lomba teve participação decisiva com grandes defesas. Já o relacionamento com Paula segue firme e forte. Na semana passada, ela provou de mais uma alegria do marido quando ele fechou novamente o gol, desta vez pelo Inter, na vitória por 1 a 0 sobre o Palestino (CHI). Lomba foi escolhido o melhor da partida. Alegria da família e principalmente do pequeno João. O primogênito do goleiro tem os mesmos sete anos de quando o pai via Taffarel e hoje dá os primeiros passos no futebol. É para quem Lomba tenta passar sua paixão pelo esporte. "Amo levar meu filho no futsal, ver ele jogando, tentar entender se vai seguir os passos do pai, ser jogador. Ele é apaixonado por bola. Fui jogar contra o Palestino, e ele pede para trocar a camisa para entrar na coleção dele. Vai guardando, para usar quando for mais velho", conta o goleiro. 

Nesta quarta, estarão todos juntos na torcida no Beira-Rio. O goleiro sabe que a partida é essencial para os planos do Inter de conquistar o tão sonhado tricampeonato da Libertadores e a primeira dele. Tem em mente sua responsabilidade e o modo como o Colorado precisa encarar a partida contra os peruanos, válida pelo Grupo A da Copa, que ainda conta com Palestino e o atual campeão River Plate (ARG). "É um grupo duro, assistimos ao jogo do River, jogo muto equilibrado com o Alianza, duas equipes buscando o resultado. Já estamos muito atentos, se preparando bastante para esse desafio e depois já analisando o River, atual campeão. Eles já têm uma base montada. Mas, honestamente, nosso papo agora é o Alianza", destaca. 

Lomba também sabe que o Beira-Rio estará tomado pela massa vermelha, ainda mais animada com a vitória na estreia. Serão milhares de aficcionados empurrando o Inter na Libertadores, elo de duas grandes paixões do guardião do gol colorado. Quando a bola rolar, o pensamento será um só: avançar até a final em Santiago no Chile no fim do ano. "Já pensou a gente chegar na final? Vai ser o jogo mais importante do ano. Temos um caminho longo até lá!". 

Longo, mas não impossível para apaixonados, Lomba!

Fechar