A noite em que o Monumental viu River x Boca nos pênaltis pela Libertadores

Há 14 anos, rivais foram para as cobranças pela semifinal. Deu Boca! Um novo empate no dia 24 levará a decisão do título de 2018 para as penalidades

O empate em 2 a 2 na final de ida, na Bombonera, fará com que uma nova igualdade (no tempo normal e prorrogação) leve a decisão da maior final da história entre Boca Juniors e River Plate para as cobranças de pênaltis, no próximo dia 24, no Monumental de Nuñez. Seria uma reedição de 2004, mas agora valendo taça.

Há 14 anos, na casa do River, os rivais foram para as cobranças pelas semifinais da Copa CONMEBOL Libertadores. Após vitória por 1 a 0 na ida e derrota (2 a 1) na volta, o Boca venceu por 5 a 4 nas penalidades, foi à final e acabou sendo vice-campeão, também nos pênaltis, diante do Once Caldas.

Um dos personagens daquele embate joga hoje pelo Boca e causou polêmica em 2004. Tevez imitou uma galinha, em provocação ao River Plate, ao marcar o gol xeneize no Monumental. O time da casa, lotada por uma única torcida, vencia por 1 a 0 quando Carlitos empatou, provocou e, posteriormente, acabou expulso. O atual técnico, Guillermo Schelotto, jogava com Tevez.

O River desempatou nos últimos segundos de jogo e levou a decisão para os pênaltis - não havia o critério do gol qualificado na época. Foram oito cobranças perfeitas dos dois lados até que Maxi López, hoje no Vasco, parou em Abbondanzieri. O Boca converteu a última penalidade e calou o Monumental.

Até este ano, aquele jogo era a maior decisão da história do Superclássico na Libertadores. Agora, sai 17 de junho de 2004 e entra 24 de novembro de 2018. O que irá acontecer?  Nos 25 jogos dos rivais pela Copa, foram dez vitórias do Boca, sete do River e oito empates.

Fechar