19 coisas que você precisa saber sobre o Palmeiras na Copa Libertadores

Verdão repete estreia de 2018 e encara o Junior Barranquilla, na Colômbia. Felipão é o técnico que mais vezes comandou o clube na Copa. Veja números e curiosidades

O Palmeiras dá sua largada na Copa CONMEBOL Libertadores nesta quarta-feira, às 21h30 de Brasília, contra o Junior Barranquilla, na Colômbia, na 19ª vez em que disputa a competição, recorde no Brasil ao lado de Grêmio e São Paulo. Há 19 coisas que você precisa saber sobre o Verdão na história do maior torneio da América:

1 - O Palmeiras chegou à final da Libertadores logo em sua primeira participação, em 1961, quando ficou com vice-campeonato após perder a decisão para o Peñarol. Uma derrota por 1 a 0 no Uruguai somada a um empate em 1 a 1 na volta, no Pacaembu, deu o título aos uruguaios.

2 - O Verdão também foi finalista na segunda vez em que disputou a Copa, sete anos depois, em 1968. Mais uma vez o clube perdeu a final, desta vez em três jogos, para o Estudiantes.

3 - O Alviverde é o clube do Brasil com mais gols na história da competição: 309 bolas na rede em 174 partidas.

4 - O Palmeiras também é um dos brasileiros com mais vitórias: são 91, atrás apenas do Grêmio, que soma 95 triunfos.

5 - A equipe de Palestra Itália é a brasileira que mais vezes venceu como visitante na Libertadores: 33 vezes.

6 - Alex, campeão da Copa com o Palmeiras em 1999, é o maior artilheiro da história do clube no torneio: 12 gols. Borja, goleador da última edição pelo Verdão, com nove, pode entrar para a história nesta edição.

Dudu Palmeiras Colo Colo Copa Libertadores 03102018

7 - Um dos maiores ídolos da história e herói da campanha de 1999, Marcos é o atleta que mais vezes vestiu a camisa do Palmeiras na Copa: 57 partidas.

8 - Do atual elenco palmeirense, Dudu é o que mais jogou pela Libertadores com o Verdão: 22 jogos.

9 - Após 20 anos de sua conquista, o Palmeiras tem no banco de reservas o mesmo treinador do título: Luiz Felipe Scolari, o técnico que mais vezes comandou o clube na Copa (34 jogos). São 17 vitórias, seis empates e 11 derrotas de Felipão, que em três edições (1999, 2000 e 2018) sempre levou a equipe ao menos até a semifinal.

10 - O Palmeiras disputa a Libertadores pela quarta vez seguida: um feito inédito em sua história.

11 - O Verdão soma quatro finais na Copa. Além dos vices de 1961 e 68 e do título de 1999, o clube chegou à decisão em 2000, quando perdeu nos pênaltis para o Boca Juniors.

Borja Luiz Scolari Palmeiras Colo Colo Copa Libertadores 03102018

12 - A vitória por 3 a 0 sobre o Junior Barranquilla na estreia de 2018, na Colômbia, é uma das maiores do clube fora de casa pela competição. Há outros quatro resultados com a mesma diferença de gols como visitante.

13 - A maior goleada que o Palmeiras já aplicou na competição aconteceu em 1995: 7 a 0 sobre o El Nacional, do Equador, no antigo Palestra Itália.

14 - A maior derrota que o Verdão sofreu foi na mesma edição, diante do Grêmio, no Sul: 5 a 0.

15 - O Palmeiras já chegou ao total de dez jogos seguidos sem perder pela Libertadores, entre as edições de 2001 e 2005.

16 - Marcos é o autor da defesa mais importante do clube na história da competição: pegou o último pênalti cobrado pelo rival Marcelinho Carioca, do Corinthians, na disputa da semifinal em 6 de junho de 2000. O clube consolidou ali uma soberania sobre os corintianos, também eliminados em 1999, na Copa. Eles não voltaram a se encontrar no torneio.

Palmeiras - Libertadores 1999

17 - César Sampaio, capitão do título de 1999, foi também o capitão do título que quebrou o jejum de títulos no Paulistão de 1993. Ele é o quarto atleta que mais vestiu a camisa do Palmeiras na Libertadores, com 30 partidas.

18 - Ademir da Guia, maior ídolo da história do Palmeiras, não conquistou a Copa. É o sexto no clube com mais jogos: 29.

19 - A conquista de 1999 fará 20 anos em 17 de junho deste ano. O título veio nos pênaltis, no antigo Palestra, após derrota fora por 1 a 0 e vitória em casa por 2 a 1 sobre o Deportivo Cali. Evair e Oseás marcaram os gols na partida decisiva e Zapata mandou para fora a penalidade que fechou a disputa final.

Fechar